Brazil Conference: Governadores tucanos defendem reformas, vacina e coalização política de centro

Publicado em:

Os governadores de São Paulo, João Doria, e do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, participaram neste sábado (17/04), da Brazil Conference at Harvard & MIT. O evento online debateu o cenário político e econômico do país e alternativas para a retomada pós-pandemia.

João Doria criticou fortemente o governo federal pelo atraso na vacinação dos brasileiros. “Eu elenquei aqui alguns pontos do que o Brasil mais precisa no momento, começando por vacinas. Vacinas para salvar, para proteger. São as vacinas que vão ajudar o Brasil a voltar à sua normalidade. O governo Bolsonaro errou e errou gravemente ao não fazer a compra de várias vacinas desde agosto do ano passado, quando poderia ter feito. Negou as vacinas, negou a pandemia e negou, literalmente, o direito à vida de milhões de brasileiros e milhares que já se foram, infelizmente”, disparou.

O governador de São Paulo também classificou o governo federal como um “desastre total”. Para ele, o presidente Bolsonaro é “um zero à esquerda que prefere jogar videogame a cuidar os reais problemas do Brasil”.

Eduardo Leite reforçou as críticas ao presidente da República, sobretudo, à insistência de Bolsonaro em afirmar que há um conluio de governadores para desestabilizar a economia e prejudicar sua reeleição em 2022. “Só uma mente doentia pode pensar assim. O presidente tem mania de perseguição”, afirmou.

O governador gaúcho criticou também o fato de Bolsonaro alardear equivocadamente que fez repasses de recursos para Estados quando muitos dos valores enviados eram obrigatórios. “Mentiras, fake news e desestabilização da relação com as polícias militares é sem dúvida uma forma de tentar subtrair poderes de governadores e de outras instituições. São os ataques ao STF (Supremo Tribunal Federal) e ao Parlamento”, afirmou.

Eduardo Leite também destacou a importância das reformas estruturantes para a retomada da economia. Segundo Leite, o Brasil se meteu numa “enrascada” por aumentar gastos públicos, gerando desconfiança, recessão e desemprego. “Para retomar a confiança, o País vai ter de mostrar comprometimento com equilíbrio fiscal, a partir de privatizações, reforma administrativa, melhora do ambiente de negócios”.

Ele ressaltou que Bolsonaro não acredita na agenda de reformas econômicas, e por isso não se esforça politicamente para viabilizar a aprovação no Congresso. “Atualmente, Bolsonaro só faz política para se sustentar no governo”.
Em comentário sobre a fala de Eduardo Leite, João Doria foi incisivo nas críticas a Paulo Guedes. “O Posto Ipiranga está falido, o Posto Ipiranga fechou”.

Brazil Conferece

A Brazil Conference at Harvard & MIT é organizada pela comunidade de estudantes brasileiros de Boston em parceria com o Estadão. Além de João Doria e Eduardo Leite participaram do debate o ex-ministro Ciro Gomes, o ex-prefeito Fernando Haddad e o apresentador Luciano Huck. Esta edição foi mediada pela jornalista Eliane Cantanhêde e pelo e pelo ex-secretário de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Hussein Kalout.

CONFIRA A ÍNTEGRA!

(*) Com informações do Estadão

Os comentários estão desativados.

Cadastre-se e receba as novidades do ITV

Instituto Teotônio Vilela: SGAS 607 Bloco B Módulo 47 - Ed. Metrópolis - Sl 225 - Brasília - DF - CEP: 70200-670