O Canto da Jararaca

Publicado em:

Lula n茫o reagiu 脿 altura 脿 civilidade de seus advers谩rios por ocasi茫o da morte da esposa. Transformou o vel贸rio da ex-primeira-dama em ato pol铆tico e pe莽a de propaganda do PT

O pa铆s saudou o gesto de civilidade demonstrado por advers谩rios de Lula por ocasi茫o da morte da ex-primeira-dama Marisa Let铆cia, ocorrida na semana passada. Foi uma evid锚ncia de que os sentimentos e o respeito humanos est茫o –聽ou deveriam estar –聽acima de prefer锚ncias pol铆ticas ou partid谩rias. Infelizmente, contudo, o ex-presidente petista n茫o reagiu 脿 altura 脿 atitude de seus antagonistas.

No s谩bado, o vel贸rio de Marisa acabou tornando-se palco para o velho proselitismo de Lula. Transformou-se num show, com superprodu莽茫o, transmiss茫o ao vivo de toda a cerim么nia, que durou聽cinco horas, direito a claque, palavras de ordem, discursos e encerramento triunfante em tom de palanque do l铆der petista.

O ex-presidente tomou o microfone e, por mais de 20 minutos, deitou聽fala莽茫o聽sobre sua trajet贸ria 脿 frente de sindicatos, do PT e do pa铆s. Nem parecia um funeral –聽para o vi煤vo, ali谩s, era um “ato” em que at茅 os filhos eram “companheiros”. Lula transformou a morte da esposa em mais uma ocasi茫o para ataques a seus advers谩rios, amea莽as aos que hoje det锚m o comando do governo, afrontas 脿s institui莽玫es.

“Quero que os fac铆noras que levantaram leviandades contra ela tenham um dia a humildade de pedir desculpas. (…) Se algu茅m tem medo de ser preso, este que est谩 aqui, enterrando sua mulher hoje, n茫o tem”,disse聽ele, sob aplausos de numerosa e entusiasmada plateia petista.

Nem o vestido que serviu de mortalha a Marisa escapou. Rubro, foi transformado em bandeira pela verve do ex-presidente: “A gente n茫o tinha medo de vermelho quando era vivo e n茫o temos medo de vermelho quando morre”. Mais aplausos. N茫o faltou, claro, a estrelinha do PT na lapela… O momento exigia consterna莽茫o e pesar, mas Lula parecia estar numa tribuna. Seria apenas insensibilidade ou a comprova莽茫o cabal de que 茅 incapaz de qualquer movimento fora do c谩lculo pol铆tico?

O que aconteceu neste s谩bado serve de alerta para aqueles que, ainda que por breves momentos, possam ter se inebriado pelo canto da jararaca quando, na quinta-feira, Lula ofereceu-se para “debater” sa铆das para o Brasil com o presidente Michel Temer. 脡 evidente que o petista n茫o tem interesse algum em ajudar quem n茫o seja do PT. Sua inten莽茫o 茅 t茫o somente agir de maneira oportunista e aproveitar o momento para tentar reabilitar-se perante a opini茫o p煤blica.

Se tivesse mesmo convic莽茫o em unir-se a oponentes em favor do pa铆s, Lula n茫o aproveitaria cada ocasi茫o para pregar contra as reformas estruturais. N茫o incitaria seus sequazes a resistir contra as mudan莽as necess谩rias na Previd锚ncia e contra a moderniza莽茫o urgente da legisla莽茫o trabalhista, ambas para que o pa铆s reconquiste equil铆brio e volte a gerar empregos. N茫o atuaria para parar o pa铆s com mobiliza莽玫es e arrua莽as. N茫o teria transformado um vel贸rio num com铆cio.

Durante o longo tempo em que o PT foi governo, a ent茫o oposi莽茫o tentou debater com o petista. Jamais foi ouvida ou sequer recebida. Tomou como resposta a incita莽茫o ao 贸dio consignada pelo governo e seus l铆deres. Agora, Lula n茫o tem mais como colaborar com as solu莽玫es que o Brasil exige. O que lhe cabe 茅 apenas responder aos crimes previstos nos cinco processos nos quais 茅 r茅u. Que dialogue com a Justi莽a, porque seu tempo na pol铆tica, felizmente, passou.

– Carta de Formula莽茫o e Mobiliza莽茫o Pol铆tica N潞 1519

Ponto de vista

脷ltimas postagens

Instituto Teot么nio Vilela: SGAS 607 Bloco B M贸dulo 47 - Ed. Metr贸polis - Sl 225 - Bras铆lia - DF - CEP: 70200-670