Logística Reversa

Publicado em:

A Pol√≠tica Nacional de Res√≠duos S√≥lidos foi institu√≠da pela lei 12.305 de 2/08/2010, onde a log√≠stica reversa foi definida como “instrumento de desenvolvimento econ√īmico e social caracterizado por um conjunto de a√ß√Ķes, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restitui√ß√£o dos res√≠duos s√≥lidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destina√ß√£o final ambientalmente adequada”.

De acordo com Revlog (2012), as tr√™s principais raz√Ķes que levam as empresas a atuarem mais fortemente na Log√≠stica Reversa s√£o: (1) Legisla√ß√£o Ambiental, que for√ßa as empresas a retornarem com seus produtos e cuidar do tratamento necess√°rio; (2) benef√≠cios econ√īmicos do uso de produtos que retornam ao processo de produ√ß√£o, em detrimento dos altos custos do correto descarte do lixo; e (3) a crescente conscientiza√ß√£o ambiental dos consumidores.

A lei, que passou a vigorar em 2014, determinou que a log√≠stica reversa deveria ter sido implantada em todo pa√≠s at√© o ano de 2015. Antes disso, muitas ind√ļstrias j√° faziam a coleta em fun√ß√£o da pol√≠tica de responsabilidade ambiental. No entanto, at√© hoje a pol√≠tica n√£o foi implementada a contento.

Muitas s√£o as vantagens para a sociedade e o Meio Ambiente, como: possibilitar o retorno de res√≠duos s√≥lidos para as empresas de origem, permitir economia nos processos produtivos das empresas, criar um sistema de responsabilidade compartilhada para o destino dos res√≠duos s√≥lidos e induzir as Ind√ļstrias a usar tecnologias mais limpas e, para facilitar a reutiliza√ß√£o, criar embalagens e produtos que sejam mais facilmente reciclados.

Podemos comentar como exemplo: uma empresa fabricante de pilhas deverá receber de volta seus produtos já usados. O consumidor, após usar as pilhas, deverá encaminhá-las a postos de coleta específicos (que podem estar instalados no comércio onde ele adquiriu), onde serão retiradas pelo fabricante.

Desta forma, os consumidores passam a devolver os produtos que n√£o s√£o mais usados em postos (locais) espec√≠ficos, os comerciantes passam a instalar locais espec√≠ficos para a coleta (devolu√ß√£o) destes produtos, as ind√ļstrias passam a retirar estes produtos, atrav√©s de um Sistema de Log√≠stica, recicl√°-los ou reutiliz√°-los e o governo √© respons√°vel por criar Campanhas de Educa√ß√£o e Conscientiza√ß√£o para os consumidores, al√©m de fiscalizar a execu√ß√£o das etapas da Log√≠stica Reversa.

No sistema de Log√≠stica Reversa, os principais produtos s√£o: pneus, pilhas e baterias, embalagens e res√≠duos de agrot√≥xicos, l√Ęmpadas fluorescentes, de merc√ļrio e vapor de s√≥dio, √≥leos lubrificantes automotivos, pe√ßas e equipamentos eletr√īnicos e de inform√°tica e eletrodom√©sticos (geladeiras, fog√Ķes, micro-ondas, freezers, etc.)

Sem d√ļvida, a implanta√ß√£o do Sistema de Log√≠stica reversa √© mais um elemento rumo ao desenvolvimento sustent√°vel do Planeta, pois possibilita a reutiliza√ß√£o e redu√ß√£o no consumo de mat√©rias-primas.

(*) Engenheira agr√īnoma, vereadora em Piracicaba e diretora de Forma√ß√£o e Aperfei√ßoamento do ITV

Artigo publicado no jornal “Gazeta de Piracicaba”, em 06/10/2019

Os coment√°rios est√£o desativados.

Cadastre-se e receba as novidades do ITV

Instituto Teot√īnio Vilela: SGAS 607 Bloco B M√≥dulo 47 - Ed. Metr√≥polis - Sl 225 - Bras√≠lia - DF - CEP: 70200-670