“Cannabis medicinal e Covid”, por Mara Gabrilli

Publicado em:

Em 2020, quando tive a covid-19, dividi meu drama sobre as sequelas que a doen√ßa deixou em meu corpo. Passei meses num ciclo debilitante com fortes contra√ß√Ķes no abd√īmen, como se estivesse carregando algu√©m. O peso no bra√ßo e nas pernas era tamanho que eu n√£o conseguia pilotar a cadeira de rodas. As contra√ß√Ķes tamb√©m eram acompanhadas de muitas dores, que me geravam mais espasmos, os quais me geravam mais dores. Foi muito dif√≠cil me recuperar de tudo isso. E meu grande aliado nesse per√≠odo de recupera√ß√£o foi o √≥leo de CBD.

√Ä √©poca, ainda eram incipientes os estudos sobre os compostos presentes na cannabis e sua efic√°cia no tratamento da infec√ß√£o pelo coronav√≠rus. Hoje, no entanto, o panorama j√° √© outro, com diversos estudos que v√™m apontando evid√™ncias iniciais que colocam as subst√Ęncias da cannabis como potenciais aliadas contra o v√≠rus e suas sequelas.

Para se ter uma ideia, segundo a Organiza√ß√£o Mundial da Sa√ļde, 1 em cada 10 pessoas que contra√≠ram o v√≠rus continua doente tr√™s meses depois dos primeiros sintomas. Fadiga, perda de mem√≥ria e de concentra√ß√£o, fraqueza muscular, ansiedade e depress√£o s√£o sequelas que afetam milh√Ķes de pessoas ao redor do mundo, inclusive no Brasil. Pesquisadores j√° identificaram tamb√©m danos neurol√≥gicos, psicol√≥gicos, pulmonares, imunol√≥gicos, renais, card√≠acos, motores, entre muitos outros. E esse √© um grande desafio para a sa√ļde p√ļblica, que precisa estar em sinergia com o que a ci√™ncia vem mostrando.

Nesse sentido, confesso que fiquei muito animada em saber que um estudo realizado por pesquisadores de duas universidades americanas do Oregon e publicado no Journal of Nature Products j√° conclu√≠ram que dois compostos do c√Ęnhamo s√£o capazes de impedir que o coronav√≠rus penetre em c√©lulas humanas.

Outras pesquisas tamb√©m j√° apontaram que o THC e o CBD t√™m propriedades anti-inflamat√≥rias, atuando em diferentes vias e em grande n√ļmero de c√©lulas para suprimir a inflama√ß√£o da Covid, como se a cannabis atuasse como um guarda-chuva que nos protegesse da tempestade de citocinas liberadas na infec√ß√£o do coronav√≠rus.

Pacientes com quadros graves, que precisam de internação em UTI, tendem a apresentar níveis elevados de citocinas inflamatórias. E a cannabis poderia ser adicionada às terapias anti-inflamatórias para conter esse problema.

No meu caso, não fosse o óleo de CBD seria muito mais difícil controlar o desequilíbrio no humor, as dores persistentes, a sensação de fadiga e a perda de paladar e olfato, sem contar os lapsos de memória.

N√£o posso deixar de citar tamb√©m que a ci√™ncia vem apontando caminhos n√£o s√≥ para os afetados pelo v√≠rus, mas tamb√©m para os profissionais de sa√ļde que atuaram na linha de frente da pandemia e apresentam hoje problemas de ordem psicol√≥gica, mental e emocional, como a depress√£o, a ansiedade e a s√≠ndrome de burnout.

Falamos de pessoas que chegaram √† exaust√£o, pois sofreram ‚Äď e sofrem ‚Äď com o medo de levarem o v√≠rus para casa e contaminar a fam√≠lia. Elas sofrem com a dor de ver pacientes morrendo e com a impot√™ncia pela falta de leitos e recursos hospitalares. Sem contar no cansa√ßo pela rotina nos plant√Ķes.

Esse panorama alarmante foi objeto de estudo de uma pesquisa da Universidade de S√£o Paulo, que avaliou o efeito do canabidiol em profissionais da sa√ļde com essas condi√ß√Ķes. Os resultados apontaram uma redu√ß√£o de 60% nos sintomas de ansiedade, 50% nos de depress√£o e 25% nos sintomas de burnout entre os volunt√°rios que fizeram o tratamento padr√£o mais o uso do canabidiol, em compara√ß√£o com aqueles que s√≥ fizeram o tratamento padr√£o.

A verdade √© que nesta pandemia ficou muito evidente que os mais vulner√°veis desse pa√≠s continuaram ainda mais vulner√°veis. Mas a crise de sa√ļde que nos assolou tamb√©m trouxe √† tona a necessidade de investirmos em ci√™ncia para alavancar v√°rias √°reas, inclusive a da sa√ļde. E a cannabis medicinal, al√©m de objeto de pesquisa para o tratamento de in√ļmeras outras doen√ßas graves, pode ser uma op√ß√£o de tratamento para muitos brasileiros afetados direta ou indiretamente pela Covid.

Essa √© uma pauta que n√£o pode ser ignorada, tampouco vencida pelo obscurantismo de um governo que n√£o se importa com o que de fato interessa: a sa√ļde e o bem estar das pessoas.

(*) Senadora pelo PSDB-SP, representante do Brasil no Comitê da ONU sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e fundadora do Instituto Mara Gabrilli

Os coment√°rios est√£o desativados.

Cadastre-se e receba as novidades do ITV

Instituto Teot√īnio Vilela: SGAS 607 Bloco B M√≥dulo 47 - Ed. Metr√≥polis - Sl 225 - Bras√≠lia - DF - CEP: 70200-670