A Inflação e os Novos Desafios

Publicado em:

A mesma ousadia que venceu a carestia deve estar presente no enfrentamento do baixo crescimento, da desigualdade, da desorganiza√ß√£o das contas p√ļblicas e do Estado

A infla√ß√£o brasileira est√° dizimada. Se conseguimos debelar problema de tamanha gravidade, √© porque o pa√≠s tem condi√ß√Ķes de, tomadas as decis√Ķes corretas, vencer desafios hoje t√£o relevantes quanto derrotar a carestia foi no passado. A hist√≥ria nos ensina por onde caminhar.

O IPCA est√° controlado e nada indica que deixar√° de estar no futuro pr√≥ximo. Em 12 meses at√© setembro, o √≠ndice aumentou 2,54%, conforme divulgou o¬†IBGE¬†nesta manh√£. √Č o segundo mais baixo dos √ļltimos 18 anos, um dos menores do mundo hoje e, pelo menos at√© 2021, n√£o se prev√™ que descole da meta fixada pelo CMN.

Tr√™s fatores confluem para √™xito t√£o eloquente: a reorienta√ß√£o da pol√≠tica econ√īmica, sem espa√ßo para a leni√™ncia e a irresponsabilidade que marcaram os anos Dilma; a superoferta agr√≠cola, que deixou os alimentos mais baratos (pelo quinto m√™s consecutivo apresentam defla√ß√£o); e a recess√£o, o componente nefasto da equa√ß√£o, que desaqueceu a demanda e, junto, os pre√ßos.

Tanto a história recente quanto a história mais longínqua do combate à inflação ensinam algo precioso: com método, decisão e planejamento, é possível vencer desafios que, por duradouros, às vezes parecem intransponíveis. A carestia brasileira era, mas felizmente deixou de ser.

Até o Plano Real, implementado por economistas tucanos em 1994, o país já tentara oito planos de estabilização de retumbante fracasso. Trinta anos atrás não havia nada mais aguardado pela população do que o fim da hiperinflação. E também não havia nada tão pouco crível, dado o histórico de insucessos.

A estrat√©gia enfim deu certo porque seus executores abriram m√£o de artimanhas e apostaram na transpar√™ncia e na participa√ß√£o informada dos agentes econ√īmicos. Al√©m disso, a estabiliza√ß√£o nasceu acompanhada de um in√©dito ajuste fiscal iniciado pelo presidente Itamar Franco ‚Äď mas que, incipiente, precisou ser aprofundado no segundo governo Fernando Henrique.

√Č de ousadias como estas que o Brasil precisa agora para vencer seus principais desafios do presente: iniciar uma trajet√≥ria de crescimento econ√īmico sustentado, diminuir a desigualdade social, p√īr ordem nas contas p√ļblicas e redesenhar os limites do Estado. De pronto j√° se percebe que as contendas que agora nos espreitam s√£o bem mais espinhosas, at√© porque foram deixadas acentuar-se nos √ļltimos anos.

A questão é de oportunidade: o Brasil não conseguirá avançar se não superar estes entraves. Da mesma forma que houve enfrentamento decidido da inflação, é hora agora de encarar os demais desafios, e vencê-los. Não vai ser fácil, não vai ser rápido, mas é incontornável. Quem já mostrou que sabe fazer pode fazer de novo.

– Carta de Formula√ß√£o e Mobiliza√ß√£o Pol√≠tica N¬ļ 1672

Os coment√°rios est√£o desativados.

Cadastre-se e receba as novidades do ITV

Instituto Teot√īnio Vilela: SGAS 607 Bloco B M√≥dulo 47 - Ed. Metr√≥polis - Sl 225 - Bras√≠lia - DF - CEP: 70200-670