Relógio suíço da corrupção

Publicado em:

Mais uma revela√ß√£o comprova que a √ļltima elei√ß√£o presidencial foi vencida por uma organiza√ß√£o criminosa, bancada por dinheiro sujo desviado de cofres p√ļblicos

O esquema de corrup√ß√£o urdido pelo PT foi armado para funcionar como rel√≥gio su√≠√ßo. E durante muito tempo funcionou. √Ä popula√ß√£o, vendeu-se a ilus√£o de um novo Brasil grande. As megaobras renderam contratos bilion√°rios, de onde, por meio de propinodutos, veio a dinheirama para financiar a perpetua√ß√£o do partido no poder. O marketing e a maquiagem de dados oficiais serviram para enganar a popula√ß√£o. O esquema s√≥ ruiu porque as institui√ß√Ķes se interpuseram no caminho.

Os jornais trazem hoje mais uma revela√ß√£o de que a campanha de Dilma Rousseff √† reelei√ß√£o foi bancada por dinheiro surrupiado de contratos de obras p√ļblicas. Seriam mais¬†US$ 4,5 milh√Ķes pagos pelo estaleiro Keppel Fels¬†como propina e depositados em contas secretas na Su√≠√ßa para pagar as contas do marqueteiro da campanha vitoriosa.

A revela√ß√£o consta da dela√ß√£o feita pelo engenheiro e lobista Zwi Skornicki, que trabalhava para o estaleiro. A empresa, por sua vez, obteve contratos para fornecer equipamentos para a constru√ß√£o de plataformas da Petrobras que movimentaram US$ 3 bilh√Ķes. O dinheiro da propina foi troco.

√Č apenas mais um dos ind√≠cios de que o PT venceu as √ļltimas elei√ß√Ķes a bordo de uma organiza√ß√£o criminosa. Desde mar√ßo de 2014, a Opera√ß√£o Lava Jato vem revelando o alcance desta m√°fia, cujos tent√°culos v√£o agora ganhando seus contornos mais n√≠tidos com as dela√ß√Ķes de personagens de proa do esquema.

No √ļltimo fim de semana, a revista¬†Isto√Ȭ†j√° mostrara que a ent√£o presidente da Rep√ļblica e candidata √† reelei√ß√£o, hoje presidente afastada do cargo, ordenou direta e pessoalmente a Marcelo Odebrecht que fizesse um dep√≥sito de R$ 12 milh√Ķes por meio de caixa dois para pagar os servi√ßos de Jo√£o Santana – o marqueteiro que, desde 2002, j√° recebeu R$ 229 milh√Ķes por campanhas do PT – e para repassar ao PMDB.

Tamb√©m com base nas revela√ß√Ķes que Odebrecht promete trazer a p√ļblico, j√° se sabe que o dinheiro da corrup√ß√£o foi usado para financiar o aparato que serviu Dilma diretamente, bancando mesadas a seus assessores mais diretos e mimos como cortes de cabelo contratados √† casa de alguns milhares de reais. E Dilma diz que nunca se locupletou de recursos p√ļblicos…

J√° se sabe, ainda, que contratos mantidos por empreiteiras brasileiras no exterior e financiados com o dinheiro barato do BNDES, em especial na √Āfrica e na Am√©rica Latina, serviram como fonte para pagamentos ao marqueteiro preferido do PT. As conex√Ķes entre as “palestras” que Lula ministrava ao redor do mundo, pagas pelas mesmas empresas, e os dutos da corrup√ß√£o s√£o igualmente expl√≠citos.

Felizmente esta engrenagem montada para funcionar com precis√£o milim√©trica bateu no pared√£o das institui√ß√Ķes respons√°veis por zelar pela justi√ßa, pelo respeito ao patrim√īnio p√ļblico e pela defesa do interesse nacional. Infelizmente, as descobertas demoraram um pouco para vir a p√ļblico, dando ao PT muito mais tempo de mandato do que merecia.

A presidente afastada tem dito que defender√° o legado que deixou para os brasileiros. Supostamente fala de conquistas que ela mais prejudicou do que ajudou a construir. Sua verdadeira heran√ßa √© um pa√≠s falido, cujos avan√ßos econ√īmicos foram para o ralo e os sociais est√£o seriamente comprometidos. O que Dilma Rousseff e o PT de fato legaram √† hist√≥ria foi uma forma suja e corrupta de fazer pol√≠tica e de tratar com absoluta leni√™ncia todos os criminosos que com eles se envolveram.

– Carta de Formula√ß√£o e Mobiliza√ß√£o Pol√≠tica N¬ļ 1379

√öltimas postagens

Instituto Teot√īnio Vilela: SGAS 607 Bloco B M√≥dulo 47 - Ed. Metr√≥polis - Sl 225 - Bras√≠lia - DF - CEP: 70200-670