Das páginas de Economia para as páginas de Polícia (Carta 965)

Publicado em:

Carta de Formulação e Mobilização Política, 11 de agosto de 2014, No. 965

A Petrobras n√£o sai dos jornais. Nossa maior empresa deixou de figurar apenas nas p√°ginas dedicadas √† economia e passou a ocupar tamb√©m os espa√ßos reservados a assuntos de pol√≠cia. Em ambos os casos, as not√≠cias s√£o ruins. A estatal est√° no centro de uma s√©rie de esc√Ęndalos envolvendo neg√≥cios ruinosos, den√ļncias de grosso desvio de dinheiro, distribui√ß√£o de benesses para corromper t√©cnicos e pol√≠ticos. Naquilo que mais interessa, a empresa tamb√©m n√£o consegue sair-se bem: seus neg√≥cios v√£o de mal a pior. Na sexta-feira foi divulgado o resultado da Petrobras no segundo trimestre. Nova frustra√ß√£o: o lucro acumulado entre janeiro e junho caiu para R$ 10,3 bilh√Ķes, redu√ß√£o de 25% em compara√ß√£o com o mesmo per√≠odo de 2013. No trimestre, a queda foi de 21%. Impressiona o n√≠vel de endividamento exibido pela estatal: sua d√≠vida l√≠quida atingiu R$ 241 bilh√Ķes e a bruta, R$ 308 bilh√Ķes, segundo o¬†Valor Econ√īmico. Trata-se da empresa n√£o financeira mais endividada do mundo. O endividamento j√°¬†corresponde¬†a quase quatro vezes a gera√ß√£o de caixa da empresa, uma temeridade. O pior √© que a contrapartida ao endividamento n√£o se materializa. A produ√ß√£o de petr√≥leo n√£o reage: a alta em rela√ß√£o ao primeiro semestre do ano passado foi de apenas 1%, ainda muito distante dos 7,5% prometidos pela dire√ß√£o da estatal para este ano. A Petrobras continua pagando caro para manter os pre√ßos dos combust√≠veis defasados em rela√ß√£o ao que a empresa gasta para import√°-los do exterior. Somente a √°rea de abastecimento da estatal, que compra e vende os produtos, registrou preju√≠zo de R$ 13,4 bilh√Ķes no semestre, segundo a¬†Folha de S.Paulo. Se os n√ļmeros n√£o v√£o bem, as not√≠cias relacionadas √† forma como a Petrobras vem sendo gerida no governo do PT s√£o ainda mais tenebrosas. Soube-se neste fim de semana pela revista¬†Veja¬†que o doleiro Alberto Youssef, que est√° no centro de um esc√Ęndalo que pode ter desviado R$ 10 bilh√Ķes da companhia, distribu√≠a malas de dinheiro a pol√≠ticos aliados. Para complicar, a presidente da estatal, Gra√ßa Foster, corre risco de ter seus bens bloqueados em raz√£o da participa√ß√£o na transa√ß√£o que levou a Petrobras a pagar pela refinaria de Pasadena bem mais que ela valia. O Minist√©rio P√ļblico tamb√©m¬†investiga¬†se a executiva omitiu informa√ß√Ķes em depoimentos prestados no Senado neste ano. Nos √ļltimos anos, a Petrobras deixou de cumprir a fun√ß√£o que dela mais se espera: produzir petr√≥leo e energia para impulsionar o desenvolvimento do pa√≠s. A empresa foi posta a servi√ßo do partido no poder, que est√° produzindo a maior pilhagem j√° vista na sua hist√≥ria. Est√° na hora de devolver a Petrobras a seus verdadeiros donos: o povo brasileiro.

√öltimas postagens

Instituto Teot√īnio Vilela: SGAS 607 Bloco B M√≥dulo 47 - Ed. Metr√≥polis - Sl 225 - Bras√≠lia - DF - CEP: 70200-670