A onda da raz√£o (Carta 990)

Publicado em:

Carta de Formulação e Mobilização Política, 15 de setembro de 2014, No. 990

A campanha presidencial deste ano est√° presa em uma mistura de mistifica√ß√Ķes e empulha√ß√Ķes. Faltando 20 dias para a vota√ß√£o que definir√° o futuro do pa√≠s pelos pr√≥ximos quatro anos, est√° na hora de o debate espelhar a gravidade da situa√ß√£o que o Brasil enfrenta. √Č chegado o momento da raz√£o. L√≠der nas pesquisas, Dilma Rousseff protagoniza uma das campanhas mais s√≥rdidas j√° vistas na hist√≥ria do pa√≠s. Suas pe√ßas publicit√°rias s√£o apelativas e o Brasil que sua propaganda no r√°dio e na TV veicula √© uma mentira sem qualquer liga√ß√£o com a realidade. A candidata-presidente n√£o parece nem um pouco preocupada com isso. Em suas declara√ß√Ķes p√ļblicas, refor√ßa o tom enganoso que os marqueteiros petistas imprimiram a suas cria√ß√Ķes carentes de escr√ļpulos. Ontem, por exemplo,¬†disse¬†que um Banco Central aut√īnomo ‚Äútira comida e perspectiva da vida das pessoas‚ÄĚ. O grau de obscurantismo da campanha petista n√£o tem limites. Por outro lado, Marina Silva n√£o demonstra capacidade de garantir que um eventual governo seu teria pulso para levar o pa√≠s de volta ao prumo. Suas convic√ß√Ķes n√£o resistem a contesta√ß√Ķes e as vis√Ķes internas de seu gruo pol√≠tico s√£o fragmentadas, contradit√≥rias. Um exemplo √© o tratamento a ser dado √† infla√ß√£o. Um de seus principais assessores econ√īmicos defendeu o aumento da meta de infla√ß√£o do pr√≥ximo ano, num momento em que o pa√≠s se v√™ prejudicado pela leni√™ncia da gest√£o atual, que deixou o custo de vida escapar de controle e namorar perigosamente o teto da meta. Ontem, Marina¬†desautorizou¬†a posi√ß√£o defendida por Alexandre Rands, que foi obrigado, inclusive, a divulgar nota √† imprensa explicando-se. Foi mais um lance do estica-e-puxa que marca a candidatura do Partido Socialista, acossado por suas contradi√ß√Ķes e incongru√™ncias. A dif√≠cil situa√ß√£o em que o pa√≠s se encontra n√£o admite experimentos arriscados, nem tampouco permite que perseveremos na dire√ß√£o equivocada em que a gest√£o petista nos enfiou. Para o bem dos brasileiros, a importante decis√£o a ser tomada em 5 de outubro pr√≥ximo deve se guiar pela raz√£o. Um pa√≠s na condi√ß√£o em que o Brasil est√° n√£o comporta amadorismos, nem aceita que o modelo baseado na pilhagem e na trucul√™ncia persista. Uma na√ß√£o com a import√Ęncia do Brasil n√£o pode ficar √† merc√™ da inexperi√™ncia de Marina Silva, nem continuar ref√©m da incapacidade de Dilma Rousseff. √Č hora de a onda da raz√£o levar o pa√≠s de volta a um bom caminho, √† mudan√ßa segura, √† transforma√ß√£o qualificada. √Č hora de os brasileiros caminharem juntos, unidos, para eleger A√©cio Neves e reconquistar a confian√ßa num futuro melhor que todos querem e a nossa gente merece.

√öltimas postagens

Instituto Teot√īnio Vilela: SGAS 607 Bloco B M√≥dulo 47 - Ed. Metr√≥polis - Sl 225 - Bras√≠lia - DF - CEP: 70200-670