Reformas Estruturais
PSDB fecha questão a favor da reforma da Previdência
13 de Dezembro de 2017
Membros da Comissão Executiva do PSDB, e integrantes das bancadas do partido no Congresso Nacional, decidiram fechar questão a favor da aprovação da Reforma da Previdência, em reunião nesta quarta-feira (13/12). No encontro, também foi criada comissão para avaliar a possibilidade de realização de prévias para a escolha do candidato do PSDB à presidência da República. Essa foi a primeira reunião da Executiva após eleição do governador Geraldo Alckmin para presidir a legenda.

Alckmin afirmou que o fechamento de questão deixa “claríssimo” o posicionamento do partido favorável à aprovação da Reforma da Previdência e que, antes de decidir se haverá punição ou não aos que não votarem conforme decisão partidária, será feito trabalho de convencimento junto aos parlamentares tucanos. O presidente do PSDB reiterou a importância do projeto, cujos objetivos primeiros são justiça social e fiscal. “Há um déficit crescente no sistema e quem paga o preço do descontrole das finanças públicas é o povo, por meio do desemprego e da perda de renda”, disse.

Para o presidente do ITV, José Aníbal, é inconcebível que os tucanos se recusem a a aprovar a reforma. "É simplesmente inaceitável, incoerente com a história do PSDB e demagógico  o partido se recusar a votar favorável à questão da Previdência", afirmou. "O fechamento de questão vai incentivar outros a fazer o mesmo", ponderou.

Prévias
Com relação à realização de prévias para a escolha do candidato tucano à presidência da República, membros da Executiva criaram uma comissão para estudar a viabilidade da implantação do sistema em todo o território nacional. O grupo de trabalho é formado pelo governador Marconi Perillo, senador Tasso Jereissati, deputados Yêda Crusius, Marcus Pestana, Bruno Araújo e Carlos Sampaio, José Aníbal, além do secretário da Juventude tucana, Marcos Saraiva.

“Particularmente, defendo prévias com todos os filiados, mas precisamos verificar se há possibilidade de fazê-las. Nós já fizemos em São Paulo duas vezes na capital. Todos os filiados votaram. No Brasil, são mais de 5 mil municípios. Precisamos ver a forma de fazê-las e o custo”, afirmou Alckmin, que deverá concorrer no pleito interno do partido.

Também postulante à vaga de candidato à presidência pela sigla, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, defendeu as prévias e lembrou que o sistema é uma forma de ouvir democraticamente todos os filiados e que possíveis divergências dentro do partido são profícuas e trazem mais união.

Comentários