PSDB
"O ITV como mola propulsora da aproximação com a militância", por Betinho Gomes
Betinho Gomes
Betinho Gomes
29 de Abril de 2019
Para voltar a ter protagonismo na cena política nacional - como sempre teve quando convocado pelos brasileiros para ajudar a reconstruir o país -, o PSDB precisa voltar a ouvir as vozes das ruas. Nada melhor do que isso que abrir o partido para os segmentos que representam a sociedade brasileira como a Juventude, o PSDB-Mulher, a Diversidade Tucana, o Tucanafro e o PSDB Sindical.

O PSDB sempre formou quadros ao longo de sua história. Uma trajetória que completará este ano 31 anos. Neste período tanta coisa mudou no Brasil e no mundo. As urnas, no ano passado, nos mostraram que precisamos nos reencontrar com os valores que buscávamos durante a criação da legenda.

Respeitando a experiência daqueles que ajudaram a mudar o país em tantos momentos cruciais, sem se fechar para novas lideranças. Permitindo-se mais uma vez ousar e não seguir fórmulas políticas vencidas, que não nos levarão a lugar nenhum, só a uma radicalização dos ânimos ainda maior do que a que estamos assistindo. Num clima de caça às bruxas, que tem dividido brasileiros, amigos e até familiares nas últimas eleições.

O momento não poderia ser mais oportuno para unirmos forças e encontrar nosso novo espaço no cenário político nacional. Com equilíbrio e buscando alternativas viáveis, inovadoras, para resolver problemas antigos que não garantem ao cidadão nada do que eles precisam: emprego, educação e saúde de qualidade e segurança.

Dentro desse contexto, torna-se imprescindível que façamos um esforço grande para descobrir talentos, para renovar os quadros partidários e formar novas lideranças. E isso só é possível a partir de uma aproximação com a militância, dando apoio aos segmentos partidários, estimulando seu trabalho de formulação e defesa de teses.

Esse é o objetivo do Instituto Teotônio Vilela neste momento em que o PSDB se reorganiza: atuar para garantir que o PSDB-Mulher, a Juventude, o Tucanafro, a Diversidade e o PSDB Sindical sejam espaços de debate político. O ITV quer ser a mola propulsora para fortalecer o trabalho que cada um desses segmentos, assim como já vinha fazendo com o PSDB-Mulher em cursos de capacitação que só no ano passado atingiram mais de 300 candidatas tucanas e resultaram no aumento da bancada feminina na Câmara de 60% em relação a eleição de 2014.

Agora, o Instituto se tornou parceiro dos jovens tucanos na Caravana da Juventude pelo Nordeste. O projeto tem como objetivos, de um lado, estimular o debate e, de outro, buscar a proximidade do partido com o cidadão nordestino, entender seus problemas, suas necessidades, conhecer de perto sua realidade. A Juventude se propõe a fazer esse corpo-a-corpo para que possamos ter uma concepção clara do que é o Nordeste, ao mesmo tempo em que vamos mostrando que o PSDB tem uma estratégia e uma preocupação com essa região.

Não podemos esconder a realidade de que o Nordeste é desafiador para o PSDB, mas temos o que mostrar.

O PSDB foi o partido da distribuição de renda, quando implantou o Plano Real; que instituiu programas sociais importantes como o Bolsa Escola, que deu origem ao Bolsa Família. Foi também a legenda que instituiu a Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS), o Fundef, o Fies. O partido tem um olhar social que se virou muito para a população nordestina. E precisamos agora superar esse ranço, mostrando que temos, sim, uma agenda para o Nordeste e que, quando fomos governo, atuamos para defender essa região.

Foi com esse foco que o ITV, recentemente, também se tornou parceiro da Juventude do PSDB do Amazonas. Juntos, realizamos os "Diálogos Amazônicos", uma oportunidade inédita de debate político sobre as questões que afetam os jovens da região Norte.

Estiveram em Manaus, para esse encontro, lideranças políticas e todos os presidentes de Juventude dos estados amazônicos.

Emprego, delimitação de terras indígenas, imigração de venezuelanos e a própria situação local do PSDB foram alguns dos temas ali discutidos. São questões que, embora peculiares, não podem ser ignoradas pelo partido. Merecem nosso olhar e nossa disposição em contribuir para que as soluções se apresentem.

Neste momento de reafirmação do PSDB como protagonista na proposição de políticas públicas, a cooperação do ITV também se estenderá à Diversidade Tucana, desta vez, com um grande encontro no Mato Grosso. Trata-se de mais uma boa oportunidade para que o partido defenda suas posições voltadas para a comunidade LGBT. Aliás, sempre bom registrar, que o PSDB foi precursor das políticas públicas, no Governo de São Paulo e no Governo Federal, voltadas para essa população. E esse resgate precisa ser feito.

Paralelo a isso tudo, temos de encarar, com a seriedade necessária, a sociedade digital. Estamos organizando, para o segundo semestre, o curso de formação para nossos pré-candidatos a prefeito e vereador. E, atendendo a essa urgência, uma das questões que serão debatidas diz respeito às estratégias para uso das redes sociais. Teremos ainda ação específica nesse sentido, voltada para a militância.

O PSDB deve ser o partido das ideias, dos quadros, mas também um partido digital. Temos de estar inseridos nesse mundo. Capacitar nossas lideranças e treinar a militância para fazer o bom uso das plataformas, combater fake news e defender as teses que o partido acredita, buscando cada vez uma conexão maior com o conjunto da sociedade.

(*) Coordenador-executivo do Instituto Teotônio Vilela

Comentários