PSDB
Formar para Renovar: curso aborda marketing político, realidade partidária, gestão e ética
27 de Julho de 2019
O Instituto Teotônio Vilela (ITV) deu início neste fim de semana (26 e 27/07) à primeira rodada de capacitação para pré-candidatos tucanos às eleições municipais de 2020. Em São Paulo, cerca de 50 pessoas participaram do curso elaborado em parceria com o CLP - Centro de Liderança Pública. A inciativa, que será levada a outras nove capitais ainda neste ano, reforça a prioridade do ITV para a formação de lideranças e a renovação dos quadros partidários.

Novas ferramentas de comunicação
O primeiro módulo do encontro na capital paulista tratou de "Marketing político e os novos modelos de campanha" e foi ministrado pelo publicitário Moriael Paiva. Ele fez um histórico das estratégias utilizadas nas últimas eleições, mostrando como a intensificação do uso de ferramentas digitais modificou a trajetória das campanhas.

"Hoje os candidatos precisam estar atentos à privacidade no uso de dados; à supersegmentação dos discursos, falando para públicos mais específicos; e à dispersão das pessoas, ou seja, o seu conteúdo chega junto com inúmeros outros que o eleitor recebe diariamente no celular", explicou. Os novos modelos de campanha também pedem, segundo Moriael, estruturas mais enxutas, motivação clara para o desejo de ser candidato, identidade e presença digital.

Diálogo entre o local e o nacional
Também na sexta (26/07), os pré-candidatos debateram sobre os "Partidos em novas realidades e diferentes desafios", módulo ministrado pelo cientista político Humberto Dantas. A partir da conceituação de partido como a união de pessoas que compartilham os mesmos ideais, os pré-candidatos puderam compreender aspectos do diálogo entre os acordos locais e as costuras políticas estaduais e federais.

"As alianças nem sempre são programáticas e as negociações locais acabam anulando o partido", constatou Dantas. "Mas é possível que os vereadores se mobilizem pela causa partidária? Sim! Os vereadores podem ajudar a construir uma agenda nacional e trabalhar para melhorar o país a partir de uma agenda de partido", destacou.

Gestão e planejamento
No sábado (27/07), a manhã foi dedicada à realização de dinâmicas de grupo elaboradas pelos gestores Bruno Bondarovsky e Eduardo Pádua, que ilustraram de forma prática as "prioridades na gestão e no planejamento". Na primeira dinâmica, os participantes responderam a questões relativas à motivação para ser candidato e ao limite pessoal para possíveis negociações políticas.

Na sequencia, foram definidas cinco áreas de uma hipotética administração - finanças, saúde, educação, saneamento e políticas sociais - para que os pré-candidatos pudessem exercitar a realização de um diagnóstico de problemas. Por fim, numa terceira dinâmica, cada grupo apresentou soluções para as questões diagnosticadas em suas respectivas áreas. "Existem forças externas que influenciam tanto o diagnóstico quanto a execução. Mas é preciso manter o foco e acompanhar cada projeto. É isso que faz a governança", destacou Eduardo Pádua.

Ética e política
O curso foi encerrado pelo professor e historiador Vinicius Muller, que tratou do tema "Dilemas éticos e política". Ele apresentou conceitos filosóficos e exemplos históricos, permitindo aos pré-candidatos debater questões éticas enfrentadas por diferentes lideranças públicas. O objetivo foi ampliar a capacidade de análise crítica sobre o contexto político e social em que determinadas decisões foram tomadas.

"A resposta sobre o que é ético deve ser pensada dentro das políticas que vamos propor. Entender a ética de trabalho do Nordeste sob a ótica do Sul pode não funcionar", explicou. "É preciso entender o valor ético para não se tornar apenas um juiz. Isso é coisa de ditador, o que não tem espaço num partido democrático", concluiu.

Fotos: Dennys Willian

Comentários