PSDB
Aspásia Camargo quer ampliar a participação das mulheres no ITV-RJ
30 de Agosto de 2019
Determinada a colocar as mulheres no protagonismo das atividades do Instituto Teotonio Vilela (ITV), a presidente estadual do ITV no Rio de Janeiro, Aspásia Camargo, tem vários planos para ampliar esse espaço feminino. Para ela, a luta comandada pela presidente nacional do PSDB-Mulher, Yeda Crusius, que resultou na destinação de 30% dos recursos do Fundo Eleitoral para as candidaturas femininas, é uma conquista que merece avançar.

"Os homens acham que porque estão dando uma cota para as mulheres, o problema está resolvido. Nós, mulheres, queremos participar de tudo: na economia, nas discussões sobre as questões sociais, empreendedorismo e meninos de rua", observou.
Aspásia Camargo disse que está planejando ações para "desbloquear" o que trava os espaços para as mulheres. "Arejar o partido é construir um partido com mulheres", definiu. E acrescentou: "Nós precisamos estar na linha de frente independentemente de ser mulher ou homem. Mas quero valorizar a participação de mulheres de todas as maneiras: nos grupos de trabalho e seminários, enfim em todas as atividades."

Momento
Aspásia Camargo reiterou que, neste primeiro momento, há uma espécie de "aproximação" das mulheres com as questões políticas e as bandeiras do PSDB. Ela lembrou que existe uma resistência por parte de muitas mulheres em relação à participação ativa na vida política.

Na sua opinião, isso é compreensível, pois em meio às informações e denúncias que vêm à tona, as reações de resistência são normais. "Muitas mulheres têm medo, estão ariscas à vida política e até desconfiadas. Temos muitas denúncias também sobre a forma como foram tratadas", disse Aspásia Camargo, lembrando a ausência de respeito com as mulheres em várias situações.

Para Aspásia, o momento do PSDB não pode ser comparado com qualquer outro partido por causa da sua trajetória e história: "Temos lideranças à frente das reformas da Previdência e Tributária, por exemplo. O ITV é o órgão do pensamento e da doutrina."

Emoção
Emocionada, Aspásia Camargo lembrou do pai José Brasileiro de Alcântara, um homem, segundo ela, "à frente do seu tempo". "Para o meu pai, o mundo tem uma dívida milenar com as mulheres. Ele nos criou com força para a liderança e o combate. Era um vanguardista."

A socióloga também se emocionou ao destacar a atuação de lideranças femininas no ano passado, como a da presidente Yeda Crusius, a da ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal e do Tribunal Superior Eleitoral, e de tantas outras que lutaram pela cota de 30% do fundo eleitoral para as campanhas femininas.

"Em 2018, nas eleições, a minha líder, Yeda Crusius, conseguiu um milagre junto com a ministra Rosa Weber e outras lideranças, Tiveram a audácia", disse. "O que nos enche de orgulho e muitas mulheres se elegeram graças a isso."

Biografia
Aspásia Camargo é socióloga, ambientalista, professora e política. Foi também secretária de Cultura do Estado do Rio de Janeiro, presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e secretária Executiva do Ministério de Meio Ambiente.

Em 2016, um novo convite a levou para o PSDB. Com a eleição de Marcelo Crivella à prefeitura do Rio, Aspásia assumiu a Subsecretaria de Planejamento e Gestão Governamental do município.

(*) Do PSDB-Mulher

Comentários