Inclusão Social
IBGE: 13,5 milhões de brasileiros vivem na extrema pobreza; crianças e negros são a maioria
07 de Novembro de 2019
O IBGE nos dá outra notícia ruim esta semana: 13,5 milhões de brasileiros vivem na pobreza extrema. É o maior índice em sete anos. 6,5% dos brasileiros têm condições precárias de moradia, não dispõem de esgoto e água tratada, têm acesso aos serviços de saúde e nível de escolaridade bastante reduzidos.

Os dados também mostram que a pobreza extrema no Brasil tem endereço, cor e idade. Norte e Nordeste apresentam os piores índices. Negros e pardos são 73% dos mais pobres. Crianças até 14 anos são 42,3% dos que estão abaixo dessa linha.

Essa situação não é nova e exige, desde sempre, medidas mais assertivas que as implementadas até agora. As reformas estruturais são o primeiro passo. Quando o Estado gasta menos consigo, ou seja, gasta menos com as altas aposentadorias, os salários acima da média de seus servidores e a manutenção de sua estrutura gigantesca, pode investir mais em áreas sensíveis e essenciais como educação e saúde.

Programas de transferência de renda são importantes e precisam ser reforçados, principalmente, aqueles voltados para a infância. Temos a chance agora com a PEC paralela da Previdência, que cria, como política de Estado, o Benefício Universal Infantil. Investir na infância é gerar adultos com mais possibilidades, é investir na redução da nossa desigualdade histórica.

(Foto: Editora Abril)

Comentários