Inclusão Social
CNI/Ibope: 60% dos brasileiros acreditam que reforma da Previdência é necessária
07 de Agosto de 2019
Seis em cada dez brasileiros acreditam que a reforma da Previdência é necessária. É o que mostra pesquisa realizada pelo Ibope, a pedido da Confederação Nacional da indústria (CNI). Entre os entrevistados, 60% concordam com a necessidade da reforma. Desses, 32% concordam totalmente e 28% concordam em parte. Outros 34% dizem que a reforma é desnecessária.

De acordo com a pesquisa, 65% dos brasileiros sabem que o governo federal apresentou uma proposta de reforma da Previdência ao Congresso. No entanto, apenas 35% conhecem o conteúdo do texto. Entre eles, 5% dizem ter amplo conhecimento e 30% conhecem só os principais pontos. Entre os 35% que conhecem a proposta, 52% são favoráveis e 46% são contrários.

O número de pessoas favoráveis, entre aqueles que conhecem a proposta, é 10 pontos percentuais superior ao registrado na pesquisa de abril deste ano, quando 42% diziam que apoiavam a proposta. Em abril, 54% eram contrários ao texto.

A pesquisa mostra ainda que 73% dos entrevistados concordam totalmente ou em parte com a idade mínima para a aposentadoria.

Regras diferenciadas

O levantamento também aponta que 57% dos entrevistados não consideram justo que alguns grupos de pessoas se aposentem com regras diferentes. Ainda assim, a população apoia um tratamento diferenciado para mulheres, trabalhadores rurais e professores. Seis em cada dez entrevistados concordam total ou parcialmente que as mulheres tenham regras diferentes das dos homens. Além disso, 64% concordam total ou parcialmente com regras diferentes para trabalhadores rurais e 62% acreditam que os professores também podem ter normas especiais.

Para resolver o problema da falta de recursos da Previdência, 62% dos entrevistados dizem que as regras devem ser mudadas. No entanto, 34% acreditam que as mudanças devem alcançar apenas quem ainda não contribui para a Previdência. Outros 28% dizem que as regras devem mudar para quem já contribui, mas ainda não se aposentou e 22% acreditam que o sistema atual deve ser mantido, sendo que o dinheiro necessário para compensar a falta de recursos da Previdência deveria ser obtido por meio do aumento de impostos.

A pesquisa CNI/Ibope ouviu 2 mil pessoas em 126 municípios entre 20 e 23 de junho, logo depois da aprovação da proposta em primeiro turno na Câmara dos Deputados. A votação em segundo turno está programa para acontecer ainda nesta semana.

Apoio do PSDB
O texto em tramitação é o parecer apresentado pelo deputado tucano Samuel Moreira (SP) à proposta enviada pelo governo. No relatório, ele procurou manter dois princípios: meta fiscal robusta e justiça social, preservando a população de baixa renda e gerando, segundo cálculos da equipe econômica, um impacto positivo de quase R$ 1 trilhão nas contas públicas.

Ainda em junho, o PSDB fechou questão em torno da aprovação do parecer de Moreira. A decisão foi tomada em reunião da Executiva Nacional com parlamentares, governadores e prefeitos do partido. "O compromisso do PSDB vem desde a origem da formação do partido, que tem uma história reformista", disse o presidente da legenda, Bruno Araújo. "O PSDB sempre enfrentou temas relevantes para a estruturação do país. E, hoje, a reforma da Previdência é absolutamente fundamental", completou.

(*) Com informações da CNI

Comentários