Gestão Eficiente
Prefeitos tucanos superam erros deixados por gestões anteriores
12 de Junho de 2017

Além de assumirem suas gestões em meio a uma das maiores crises econômicas já enfrentadas pelo país, herança deixada pelo PT que se reflete em orçamentos mais enxutos e intenso corte de gastos, diversos prefeitos do PSDB estão tendo que concentrar seus esforços na solução de problemas deixados como herança pelas antigas administrações.

O caso mais emblemático dessa realidade acontece em Chapada dos Guimarães (MT), onde a prefeita Thelma de Oliveira (PSDB) recebeu um Executivo alvo de intervenção do governo estadual em razão de irregularidades nas contas relativas a 2015. Diante da situação, a tucana tem que priorizar, acima de todas as outras áreas, o equilíbrio fiscal no município. Por conta do quadro de inadimplência herdado da gestão passada, a prefeitura não pode sequer receber recursos ou firmar convênios e contratos. Mesmo vivendo essa dura realidade, Thelma tem conseguido fazer importantes melhorias no munícipio, um dos principais destinos do turismo ecológico no Centro-Oeste do país.

Entre os avanços, destacam-se o plano de recuperação de parques da cidade, a inauguração da segunda Estação de Tratamento de Água do município, prevista para o próximo mês, e projetos de asfaltamento de bairros.

“Nós estamos agindo. Dentro das possibilidades, estamos procurando não deixar a prefeitura ficar parada. Como é um município turístico, a gente não pode deixar de preparar a cidade para receber o turista. A água era uma questão emblemática há muitos anos e, se Deus quiser, em julho vamos inaugurar a segunda estação de tratamento. Nós já temos uma, que não está conseguindo nos atender. Essa segunda vai resolver por mais 50 anos o nosso problema”, ressaltou a tucana.

Thelma avalia que o cenário de dificuldades no município ainda deve durar, no mínimo, mais um ano, tempo em que a prefeitura ainda terá, segunda a tucana, que “cortar na carne” para manter as finanças em dia. “Não tem como ser diferente. Nós estamos priorizando educação, saúde, infraestrutura, com paisagismo, tapa-buracos, a questão da coleta de lixo, enfim, manter a cidade organizada para receber o turista”, afirmou.

O cenário incomum enfrentado por Thelma por conta da interdição da prefeitura, no entanto, não faz de Chapada dos Guimarães a única cidade administrada pelo PSDB a ter que corrigir erros de administrações passadas. Em Porto Velho, o prefeito Hildon Chaves lançou seu programa de pavimentação da cidade, cujas obras devem se estender até o final do ano. Na primeira fase da iniciativa, a prefeitura concluirá os trabalhos já iniciados e abandonados pela gestão anterior.

Já em Porto Alegre, a prefeitura comandada pelo tucano Nelson Marchezan Jr. liberou, no início de junho, os recursos para a retomada das obras de reurbanização do Largo dos Açorianos, no centro da capital gaúcha. A gestão de Marchezan também vem buscando recursos junto à Caixa Econômica Federal para concluir as obras da Copa do Mundo de 2014 que até hoje não foram entregues na cidade. Por conta do não pagamento de dívidas com as construtoras na administração anterior, 19 obras de mobilidade urbana seguem paralisadas em Porto Alegre.

Em Vila Velha (ES), o trabalho também tem sido intenso para entregar à população melhorias não apresentadas pela gestão anterior. Com o tucano Max Filho, a prefeitura tem dedicado atenção especial às intervenções na infraestrutura urbana. Apenas entre abril e maio, a administração tucana fez uma operação tapa-buracos em 59 vias de 20 bairros da cidade, ação que resultou na cobertura de 1.177,73 metros quadrados de ruas e avenidas.

A gestão de Max Filho também tem recuperado a estrutura das praias, que estão entre os principais pontos turísticos de Vila Velha. Nesta semana, a prefeitura iniciou o reparo de 48 chuveiros da orla, com serviços de manutenção hidráulica e elétrica dos chuveiros, pintura e troca de bombas, entre outras ações.

Para Thelma de Oliveira, é fundamental que o gestor público haja com responsabilidade, para entregar uma cidade com contas equilibradas, evitando assim que os problemas causados por administrações irresponsáveis se tornem uma bola de neve.

“Nós precisamos estar muito preparadas, precisamos cumprir com a Lei de Responsabilidade Fiscal, porque aí sim você equilibra o município e deixa uma coisa positiva para o próximo gestor. E não é só para o próximo gestor, acho que quem mais sofre é a população quando você deixa o município desorganizado”, alertou a tucana

Comentários