Gestão Eficiente
No Brasil, partidos confundem comunicação pública com proselitismo político, diz Eugênio Bucci
17 de Junho de 2016

Não existe democracia sem comunicação.É uma ilusão supor que a sociedade vá suprir todos os mecanismos de debate público.
A participação do Estado é fundamental, tanto quanto da iniciativa privada.
O Estado precisa garantir os meios para que as pessoas se comuniquem, desde o plano legal, a partir das garantias constitucionais da liberdade de expressão, até o material, com suporte à estrutura da comunicação pública. 
É preciso superar a cultura que se tem no Brasil de usar a estrutura pública de comunicação para fazer proselitismo político. Todos os partidos fazem isso.



Em linhas gerais, esse é o pensamento do jornalista e professor da Escola de Comunicações e Artes da USP Eugênio Bucci sobre comunicação pública, como conceito e missão nas sociedades democráticas.



Bucci foi presidente da Radiobras no primeiro governo Lula (2003-2007). Em entrevista ao Portal do ITV, ele fez um paralelo entre duas experiências de comunicação pública, a EBC, no plano federal, e a TV Cultura de São Paulo, para o Estadual.

Confira!

 



 

Comentários