Gestão Eficiente
Gestão de Rui Palmeira torna Maceió capital amigável e aberta a receber novos negócios
09 de Maio de 2019
Quando assumiu pela primeira vez a prefeitura de Maceió, em 2013, Rui Palmeira tinha como principal preocupação atrair empresas para a capital alagoana. A razão era óbvia: criar um círculo virtuoso, por meio de um ambiente amigável de negócios, cujos benefícios seriam percebidos para além do município. E uma opção tomada há alguns anos mostrou-se acertada, sobretudo se considerada a grave situação fiscal que o país enfrenta desde 2015.

Em pouco mais de cem dias de gestão, em 2019, a aposta de longo prazo da administração tucana colhe agora os resultados. Instalada em Maceió desde 2014, a operadora de teleatendimento AlmaViva aparece como a 10ª empresa que mais emprega com carteira assinada no Brasil. Na capital alagoana, é responsável pela geração de mais de oito mil empregos diretos, segundo dados do Ministério da Economia, com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

"Desde a instalação da empresa, muitos jovens tiveram a oportunidade do primeiro emprego e outros maceioenses retornaram ao mercado de trabalho", comemorou Rui.
Mas, para atrair a AlmaViva, foi necessário trilhar longo caminho. Só chegou depois da criação do Programa de Incentivo Fiscal para Empresas de Call Center e Telemarketing, iniciativa da Prefeitura implantada pela Lei 61/2013. A capital alagoana era a única no Nordeste que não tinha tal incentivo para a captação de novos empreendimentos.

Aliás, a criação de um ambiente favorável de negócios é ordem para qualquer administrador público comprometido com sua gente. É obrigatório ser atrativo, razão pela qual a Prefeitura baixou a Lei Municipal 6.774/2018, cujo objetivo é desburocratizar e facilitar o caminho de quem deseja empreender e investir. A Lei foi formatada com ajuda do Sebrae Alagoas, inspirada em experiências de outras cidades, como Fortaleza e Florianópolis.

Saída pelo turismo

Por ser praiana, a cadeia do turismo em Maceió está no topo das preocupações da Prefeitura. Por isso é que Rui assinou, na 7ª edição da Semana do Conhecimento, promovida pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), termo de fomento entre Município e a instituição. São convênios como esses que garantem eventos que movimentam a capital.

Maceió no mapa do esporte

Uma das marcas da gestão de Rui Palmeira é a inclusão de Maceió no mapa brasileiro do esporte. Como a capital será palco de dois grandes eventos universitários, entre 5 e 10 de agosto, a Prefeitura tornou-se parceira na realização do Jubs 2019 - Conferência Nordeste e do Pan-Americano de Basquete 3 por 3, que acontecerão simultaneamente. O Jubs ocupará seis ginásios da cidade e estima-se que reunirá aproximadamente 1,2 mil atletas de todo o país, em quatro modalidades (futsal, vôlei, basquete e handebol) e nas categorias masculino e feminino.

Prática de esporte é ganho de qualidade de vida. Por isso, no começo de maio, Rui esteve com representantes do Itaú, em São Paulo, para discutir novas propostas e fazer um balanço da colaboração da instituição com os projetos desenvolvidos pela Prefeitura - como a Academia de Saúde ao ar livre/Unidade Feitosa, um espaço de 200m², na praça Nossa Senhora de Fátima, com equipamentos doados pelo banco.

Viagens também virtuais

O fomento ao turismo não ficou para trás e a ideia da administração tucana é fazer de Maceió um destino cada vez mais frequente para brasileiros e estrangeiros. Assim, para facilitar a vida de quem chega ou quer chegar, em 29 de abril a Prefeitura lançou duas ferramentas interativas com informações da cidade: o Maceió 360° e o Chatbot, que permitem viagens virtuais pelas maiores atrações da capital. Ambos são parte do projeto de automação digital do governo no período 2017-2020.

Aliás, pensando no turismo, Rui tem dado ênfase à rede hoteleira, com a inauguração de novas unidades de hospedagem, que geram emprego e renda - em especial para o maceioense - da construção ao funcionamento.

Embalando as boas novas para quem pensa em Maceió como destino, pesquisa do governo federal ainda coloca o Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares como o mais bem avaliado do Nordeste entre os da sua categoria - recebeu nota 4,50. Além de ocupar a primeira posição na região, obteve o segundo lugar geral da avaliação, no ranking de melhor aeroporto entre os oito terminais brasileiros que movimentam até cinco milhões de passageiros/ano.

Bienal ao ar livre

Para Rui, a cultura não pode ser pensada como unidade isolada. Ao buscar a integração com as áreas de turismo e economia de Maceió, fechou com a Universidade Federal de Alagoas parceria para a realização da 9ª Bienal Internacional do Livro, que pela primeira vez será ao ar livre, ocupando ruas e prédios históricos do bairro do Jaraguá. A Ufal é a única universidade pública brasileira que realiza uma bienal literária.

Amparo ao Pinheiro, Bebedouro e Mutange

A Prefeitura teve de agir rápido para evitar uma tragédia que quando, a aproximadamente um ano, foram registrados tremores de terra nos bairros do Pinheiro, Bebedouro e Mutange, que atingiram uma área de 2,2 milhões de metros quadrados e onde estima-se que morem 20 mil pessoas. Resultado de atividades de mineração da Braskem, segundo conclusão de estudos do Serviço Geológico do Brasil, do Ministério das Minas e Energia, apresentado em 8 de maio passado, Rui amparou a população e evitou a desassistência.

Desde que as rachaduras se intensificaram, 160 imóveis foram condenados pela Defesa Civil e outros 330 foram localizados em áreas consideradas de altíssimo risco, o que levou a Prefeitura a tomar uma série de medidas para reduzir o drama das comunidades. Uma delas foi a suspensão do envio dos carnês do IPTU deste ano e das taxas de serviços urbanos para os imóveis do Pinheiro.

Outra foi o encontro, em Brasília, com representantes das secretarias Nacional de Proteção e Defesa Civil, Nacional de Habitação, Nacional de Saneamento, e com o Serviço Geológico do Brasil para destravar a possibilidade da construção de conjuntos habitacionais para as famílias que não puderem voltar ao Pinheiro.

Uma terceira e importante medida foi a aprovação, para liberação, de mais R$ 2,4 milhões que garantem o auxílio-moradia a 413 famílias do Pinheiro.

Comentários