Gestão Eficiente
Alckmin e Aníbal defendem a política como fator de promoção social durante encontros do PSDB em Florianópolis e Porto Alegre
14 de Agosto de 2017
Os tucanos estão prontos para voltar a governar o país e recolocá-lo em posição destacada no cenário internacional. A afirmação foi feita pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, durante encontro realizado em Florianópolis pelo Instituto Teotônio Vilela e pelo PSDB de Santa Catarina, no sábado (12/08). Ao lado do presidente do ITV, José Aníbal, e com a presença de mais de 500 lideranças catarinenses, Alckmin falou dos desafios do país nos próximos anos.

Segundo o governador, o segredo de uma boa gestão é a busca pela eficiência a todo instante. "O Brasil passa por momentos de extrema dificuldade, os anos de governo populista do PT foram um desastre que se reflete no que temos hoje: economia retraída e 14 milhões de desempregados. Eficiência da máquina pública é a palavra-chave para esse quadro ser revertido", disse.

Alckmin fez a defesa do que chamou "boa política". "Não há como atuar fora da atividade política. A segurança, a saúde, o bem-estar social, a previdência, a infraestrutura, tudo isso depende da atividade política. O que precisamos é fazer a boa política, a política focada no que for melhor para todos. Precisamos trazer mais pessoas para essa boa política. O pior é a omissão", afirmou.

Saudado como pré-candidato à Presidência da República, Alckmin disse que, se for a vontade do PSDB, será, sim, candidato em 2018. "Fala-se muito em mudança, em novidade. Para mim, esse conceito está muito claro, a população aprendeu o que é bom e o que não é. Novo independe de idade ou de experiência, em política novo significa, sobretudo, a vontade de fazer melhor do que foi feito até hoje", completou.

Desejo por mudanças
José Aníbal também defendeu a política como fator de agregação e promoção de oportunidades. O presidente do ITV destacou que há na sociedade brasileira um desejo difuso por mudanças e que as pessoas que estão na política precisam ter a humildade para entender essa mensagem. "O ‘nós contra eles', imposto por uma associação partidária que hoje está totalmente desagregada, nos impediu de ver essa demanda da sociedade, pois dificultou conversas mais abrangentes", disse.

O presidente do ITV reforçou que a democracia no Brasil é um valor consolidado, mas os cidadãos desejam que essa democracia seja transparente. "Temos a responsabilidade de adotar mudanças que correspondam a esse interesse da sociedade. ‘Distritão' não corresponde, fundo para financiamento de campanhas também não", disse, referindo-se à reforma política em tramitação no Congresso. "Mas creio que ainda podemos mudar isso", completou. "Política pública séria é política que tem sustentabilidade. Não adianta mudar agora sem saber o que será feito mais adiante".

José Aníbal fez uma análise do cenário político brasileiro das últimas décadas e mostrou que as ideias defendidas historicamente pelo PSDB estavam, e continuam a estar, de acordo com o que é exigido pela população. "O povo brasileiro reconhece nas gestões do PSDB um porto seguro, e certamente diante de tido que passou o país nos últimos anos, é hora de voltar a buscar a segurança de um governo eficiente e comprometido com os desafios do país", afirmou.

Marca de eficiência
O encontro em Florianópolis foi comandado pelo presidente do PSDB catarinense, deputado estadual Marcos Vieira, e pelos senadores Paulo Bauer, líder da bancada tucana, e Dalirio Beber, presidente do ITV-SC. Estiveram presentes o deputado federal Marco Tebaldi, os deputados estaduais Leonel Pavan, Serafim Venzon e Mário Marcondes, além dos prefeitos Napoleão Bernardes (Blumenau), Clésio Salvaro (Criciúma) e o vice-prefeito da capital, João Batista Nunes. Também prestigiaram o encontro o vice-governador Eduardo Pinho Moreira e o senador Dário Berger, ambos do PMDB.

O senador Dalírio Beber elogiou o governador paulista e disse que o currículo de Alckmin e suas realizações à frente do principal estado da nação, com economia maior que a de muitos países, já o colocam naturalmente como postulante ao Palácio do Planalto. "O PSDB tem em seus quadros nomes preparados para governar o país nesse momento difícil, e o governador Geraldo Alckmin certamente é um desses principais nomes", disse.

O líder Paulo Bauer fez elogios à trajetória de Alckmin e lembrou que ele enfrentou uma eleição muito difícil em 2006, e conquistou um resultado excepcional. "Naquela época ele já mostrou ser o mais preparado, agora o cenário é completamente diferente e não tenho dúvidas que o resultado também será diferente", completou.

Marcos Vieira avaliou que as palestras feitas pelas lideranças nacionais oxigenam ainda mais o partido no Estado, que já está unido e trabalhando por um objetivo definido. "O governador Alckmin é um exemplo para qualquer gestor público. Governa há quase 20 anos a locomotiva da nação que é São Paulo, e sempre com índices de aprovação elevados. Nós do PSDB catarinense nos espelhamos nestes exemplos, Santa Catarina votou maciçamente em Alckmin em 2006, e tenho absoluta convicção que repetirá isso, e até aumentará, caso ele seja o candidato em 2018", finalizou.

Em Porto Alegre, críticas ao "distritão" e ao fundo para financiar campanhas
Na sexta-feira (11/08), em Porto Alegre, Geraldo Alckmin e José Aníbal também palestraram em evento para lideranças políticas e empresariais, realizado em parceria pelo ITV e pelo PSDB gaúcho.

O governador fez uma análise da conjuntura política brasileira e questionou pontos da reforma política em debate no Congresso Nacional, com críticas ao sistema eleitoral chamado de "distritão" e o financiamento público de campanhas. Alckmin defendeu o voto distrital e a redução no número de partidos em atividade no país.

Assista à palestra


Cerca de 200 pessoas participaram do encontro, que contou com a presença dos prefeitos Nelson Marchezan Jr (Porto Alegre), Paula Mascarenhas (Pelotas), Jorge Pozzobom (Santa Maria) e Fátima Daudt (Novo Hamburgo); da deputada federal e ex-governadora Yeda Crusius; dos deputados estaduais Lucas Redecker e Adilson Troca, além de vice-prefeitos e vereadores.

Comentários