Gestão Eficiente
Ajustar as contas deve ser a primeira medida de qualquer gestor, diz Mauro Ricardo Costa
16 de Dezembro de 2016
Secretário da Fazenda do Paraná explica por que dar prioridade à responsabilidade fiscal é a receita para se promover melhores políticas públicas



Diferente de muitos dos estados brasileiros, que enfrentam problemas até para pagar o funcionalismo, o Paraná está com as contas em dia e até antecipou o 13º salário deste ano. O "segredo" é justamente este: fazer antes e fazer bem feito. O governo do tucano Beto Richa se antecipou e ainda em 2014 adotou medidas de ajuste fiscal - ou seja, antes do agravamento da crise econômica no Brasil provocada pela irresponsabilidade da gestão Dilma Rousseff.

"Agir no momento da crise ou depois da ocorrência da crise fica mais difícil de resolver o problema", explica Mauro Ricardo Costa, secretário da Fazenda do Paraná, um dos principais especialistas em recuperação das finanças públicas do país. Segundo ele, não basta só se antecipar aos problemas: é preciso contar com uma equipe capacitada e um bom gestor na área financeira.

Como afirma Mauro Ricardo, sem recurso nenhuma política pública avança. Por isso, o ajuste fiscal tem de ser levado a sério mesmo que se arque com o ônus de medidas impopulares. É também importante que essas medidas sejam tomadas ainda no início do mandato. "Não há senhor do bom começo, há senhor do bom fim", diz o secretário.

Em entrevista ao Portal do ITV, Mauro Ricardo contou sobre a experiência de modelo de gestão do Governo do Paraná e fez recomendações aos prefeitos eleitos na disputa municipal de 2016, como definir prioridades e fazer bem feito aquilo que é responsabilidade direta dos municípios. "O prefeito tem que zelar pela sua cidade, isto é, cuidar da limpeza, das ruas, das praças, das calçadas, da pavimentação, da sinalização horizontal e vertical, da iluminação pública", recomenda.

Veja aqui a entrevista na íntegra


Comentários