PSDB
PSDB-Mulher prepara estratégia para as eleições de 2020
18 de Julho de 2019
Na primeira reunião da Coordenação Executiva do PSDB-Mulher Nacional com as novas presidentes estaduais do segmento, realizada nesta terça-feira (17) em Recife (PE), as tucanas começaram a montar seu planejamento estratégico para as eleições municipais de 2020.

Representantes de 21 estados participaram do encontro comandado pelo presidente nacional do Secretariado, Yeda Crusius (RS). A ordem é investir em novas lideranças femininas, sintonizadas com as demandas sociedade brasileira.

"Não vamos ter o sucesso que tivemos em 2018, se não buscarmos novas lideranças, com potencial político para disputar as eleições do próximo ano. Por isso a presença de vocês aqui hoje é tão importante para definirmos nosso planejamento estratégico. Nossas candidatas em 2020 é que conduzirão a candidatura presidencial do PSDB em 2022", observou Yeda.

Mapa político
Enquanto a Executiva Nacional do PSDB inicia um processo de reestruturação interno, após um longo período de divisões internas, o PSDB-Mulher mais uma vez sai na frente e orientou suas coordenadoras regionais a montarem um mapa político detalhado com as pré-candidatas com maior potencial eleitoral para as eleições de 2020. Paralelamente a isso, as tucanas planejam deflagrar uma ação forte para filiar novas mulheres ao partido.

"Esse mapa político deverá identificar as forças, oportunidades, fraquezas e ameaças ao PSDB em cada uma das cinco regiões, além de começar a listar as pré-candidatas com maior potencial eleitoral", acrescentou Yeda.

Mulheres na pauta mundial
A ideia é garantir às coordenadoras regionais do PSDB-Mulher o papel de articuladoras das eleições de 2020 dentro do partido. A avaliação feita durante a reunião é que a igualdade de gênero virou pauta mundial não só na política, como em vários setores.

Para que não haja retrocesso nas conquistas já garantidas pelas mulheres, como os 30% dos recursos do fundo eleitoral para as candidaturas femininas, as tucanas estão cientes que precisarão manter a unidade institucional do segmento.

A prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro, presente ao encontro, fez questão de dar um depoimento sobre a importância dessa unidade, que considerou fundamental para que ela permanecesse no PSDB após uma queda de braço com o presidente estadual do partido em Tocantins, o ex-senador Ataídes Oliveira, que tentou expulsá-la da legenda duas vezes e ainda ameaça não lhe dar legenda para disputar a reeleição no ano que vem.

"Posso dizer que sou a soma dos esforços do PSDB-Mulher, que se uniu para me defender. O ano de 2019 será um divisor de águas para a política no mundo e no Brasil", afirmou Cinthia Ribeiro.

Texto: Adriana Vasconcelos

Comentários