Eleições
PSDB disputa três capitais da Região Norte com 4 milhões de habitantes e orçamentos de quase R$ 9 bilhões
17 de Outubro de 2016
A Região Norte concentra três dos oito candidatos do PSDB que disputam o segundo turno nas capitais, dos quais dois são tentativas de reeleição: os prefeitos de Belém, Zenaldo Coutinho, e de Manaus, Artur Virgílio Neto, além do estreante Dr. Hildon Chaves em Porto Velho. Os três terminaram o primeiro turno à frente de seus adversários e, se confirmarem o favoritismo, vão consolidar os tucanos como segunda principal força política nesta região do país, atrás apenas do PMDB.

Em 2 de outubro, o PSDB conquistou 51 prefeituras nos sete estados do Norte, em cidades que somam hoje pouco mais de 2 milhões de habitantes. No caso de vitória nessas três capitais em disputa, esse contingente se multiplicará por três e o PSDB passará a administrar em 2017 uma população de quase 6,1 milhões de cidadãos - 35% dos 17,2 milhões de habitantes da região.

Das três capitais, Manaus conta com o maior orçamento em 2016: R$ 4,1 bilhões. Belém vem logo atrás, com R$ 3,5 bilhões. Em Porto Velho, o orçamento estimado pela prefeitura para 2016 é de R$ 1,4 bilhão.

Um legítimo manauara
Em Manaus, o prefeito Artur Virgílio Neto disputa a reeleição contra Marcelo Ramos (PR). O tucano já administrou a cidade entre 1989 e 1992, acumulando depois experiências como deputado federal, ministro da Secretaria-Geral da Presidência no governo Fernando Henrique Cardoso e senador. "Artur é um quadro histórico do PSDB, um legítimo amazonense e manauara que, a partir do Amazonas, se lançou para o Brasil", diz o secretário-geral do PSDB-AM, José Paulo Ferreira.

A principal cidade amazônica tem 2,1 milhões de habitantes. Sua economia, voltada majoritariamente para a indústria de eletroeletrônicos e veículos de duas rodas, além do turismo, acumula um PIB de R$ 50 bilhões, segundo o IBGE. Entre as conquistas da administração de Artur Virgílo Neto, segundo Ferreira, está justamente o fato de ter mantido as contas da prefeitura em dia, apesar da crise que abala esses dois setores e do que chama de "falta de atenção" do governo federal.

"No governo do PT, Manaus recebeu apenas os repasses constitucionais. Artur recebeu a cidade bastante destruída, mas conseguiu recuperá-la. E vamos continuar crescendo", afirma, destacando, por exemplo, que nos últimos quatro anos, a capital amazonense saltou do 20.º para o 11.º lugar no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Continuidade no desenvolvimento
"A reeleição de Zenaldo Coutinho é importante para a continuidade do desenvolvimento socioeconômico em Belém e, no caso específico do PSDB, é estratégica também para que o partido se mantenha no governo do Estado, em 2018", avalia o senador Flexa Ribeiro, presidente do PSDB no Pará. Ele lembra que o primeiro turno chegou a mostrar um cenário desfavorável ao atual prefeito, que aparecia em terceiro lugar nas pesquisas.

"Mas a campanha evoluiu, e terminamos em primeiro lugar com pequena margem de vantagem (31% a 29%). Agora estamos mostrando que Zenaldo fez em quatro anos o que Edmilson não fez em oito", completa, referindo-se ao adversário do tucano no segundo turno, o ex-prefeito Edmilson Rodrigues (PSOL).

A capital paraense tem 1,4 milhão de habitantes e um PIB que soma R$ 21 bilhões, de acordo com o IBGE. No Pará, o PSDB já conquistou 32 prefeituras de um total de 144. Foi o partido mais votado no estado, com 1.084.633 votos em candidatos tucanos na disputa majoritária - o PMDB, apesar de ter conquistado 42 prefeituras, teve 870 mil votos. "O fortalecimento que aconteceu com o PSDB nacionalmente foi reproduzido aqui no Pará", avalia Flexa Ribeiro. Entre outras prefeituras importantes conquistadas pelo partido no estado estão as de Ananindeua, Bragança e Paragominas.

Eleitores buscam o novo
A "novidade" foi a aposta do PSDB para disputar a prefeitura de Porto Velho. O candidato é Dr. Hildon Chaves, que, apesar da grande experiência como promotor de Justiça e na área da educação, nunca havia concorrido a um cargo eletivo. "A boa colocação do candidato, não detectada pelos institutos de pesquisa no primeiro turno, demonstra não apenas a preferência do eleitorado pelo PSDB, mas também pela renovação. As pessoas querem o novo", avalia o presidente estadual do ITV em Rondônia, Aparício Carvalho.

Segundo ele, a provável vitória do PSDB em Porto Velho é resultado de um processo que vem desde 2012, quando a atual deputada federal Mariana Carvalho, sua filha, foi a candidata do partido e obteve votação expressiva, apesar de não ter vencido. "Desde então, o PSDB vem investindo na mobilização da militância no estado, incentivando filiações e candidaturas, mostrando a necessidade de mudanças" diz Aparício Carvalho, destacando a importância do ITV no processo.

Porto Velho tem 511 mil habitantes e um PIB de R$ 9 bilhões. Em Rondônia, o PSDB já conquistou cinco prefeituras, com destaque para outro novato: João Gonçalves, de 24 anos, será o novo prefeito de Ji-Paraná, a segunda maior cidade do estado.

Comentários