Eleições
Prefeitos do PSDB tomam posse em 804 municípios brasileiros; partido comemora vitória histórica
01 de Janeiro de 2017

O melhor resultado do PSDB na história das eleições municipais foi coroado neste 1o de janeiro de 2017, com as posses dos 804 prefeitos e 5.355 vereadores eleitos pelo partido em todos os estados do país. Entre eles, estão sete tucanos que administrarão capitais. Além dos reeleitos Firmino Filho (Teresina), Artur Virgílio Neto (Manaus), Rui Palmeira (Maceió) e Zenaldo Coutinho (Belém), o PSDB terá as gestões inéditas de João Doria (São Paulo), Nelson Marchezan Jr. (Porto Alegre) e Dr. Hildon (Porto Velho). A partir de 2017, o PSDB será o partido que governará o maior número de capitais no Brasil.


A legenda também passa a comandar 21 cidades com mais de 200 mil eleitores. No total, o PSDB agora é responsável por administrar municípios que somam 23,7% da população do país – quase 49 milhões de brasileiros. Os tucanos também foram eleitos em regiões que, no passado, eram consideradas “redutos” do PT no país, como o ABC Paulista. 

Em seu discurso de posse, João Doria destacou a importância de São Paulo, a maior cidade do país. "O Brasil se reproduz, o Brasil está em São Paulo. A cidade não é dos paulistanos, a cidade não é dos paulistas, a cidade é dos brasileiros. E é para esta cidade, de todos os brasileiros, que começamos nesta data uma nova etapa", afirmou o tucano, que ainda ressaltou que governará para todos os paulistanos.

Em Porto Alegre, Nelson Marchezan Jr. anunciou um "novo tempo" para os cidadãos com o início de sua gestão. "O grande desafio é executar aquilo que está acima do interesse partidário, sindical. O desafio é executar o que for do interesse público", disse. "Governaremos com o olhar no futuro, no cidadão, nas mudanças que tanto sonhamos", salientou.

Já o reeleito Rui Palmeira afirmou que as mudanças que pretende promover são "um realinhamento de peças que funcionavam bem, para outras áreas" da administração municipal de Maceió. O também reeleito Firmino Filho destacou a importância da educação em seu novo mandato, o quarto à frente de Teresina. "Hoje, Teresina é o terceiro lugar entre as capitais com a melhor educação. Vamos perseguir o ouro, avançando na melhoria da educação da nossa capital, universalizando o acesso das nossas crianças à escola", anunciou.

Em Ribeirão Preto, o novo prefeito Duarte Nogueira afirmou que sacrifícios serão necessários ao longo de sua gestão, diante da crise econômica que atinge todo o país. "Esse momento exige preparo multiplicado, abordagens construtivas, motivação coletiva, envolvimento familiar, trabalho conjunto e solidariedade", analisou.

Confira os perfis de alguns tucanos que assumiram prefeituras:


Maceió – Rui Palmeira
Reeleito prefeito de Maceió, Rui Palmeira é advogado com especialização em Direito Tributário e Finanças Públicas. Nascido em Maceió no dia 13 de setembro de 1976, foi eleito prefeito pela primeira vez em 2012, em primeiro turno, com 230.129 votos. Na ocasião, tornou-se o primeiro integrante do PSDB a chefiar o Poder Executivo maceioense. O tucano ingressou na carreira política em 2006, quando foi eleito deputado estadual. Em 2010, foi eleito deputado federal. À frente da prefeitura, Maceió tornou-se a cidade e uma das capitais mais transparentes do Brasil, obtendo 9,5 no Ranking da Transparência do Ministério Público Federal.


Manaus – Artur Virgílio
Reeleito para o cargo de prefeito de Manaus no segundo turno de 2016 com 55,96% dos votos, Artur Virgílio Neto é diplomata. Foi eleito em 2012 para seu segundo mandato como prefeito de Manaus – antes, comandou a capital amazonense entre 1989 e 1993. Nascido em Manaus, em 15 de novembro de 1945, foi senador da República entre 2003 e 2011, período em que liderou a bancada do PSDB na Casa e fez oposição aguerrida ao governo de Luiz Inácio Lula da Silva. Ainda foi ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, e deputado federal entre 1983 e 1987 e 1995 e 2003 (dois mandatos consecutivos).


Teresina – Firmino Filho
Firmino da Silveira Soares Filho foi reeleito prefeito de Teresina (PI) no primeiro turno das eleições municipais de 2016, com 51,1% dos votos válidos. O tucano nasceu na capital do Piauí em 1963. Economista, ele vai assumir a prefeitura de Teresina pela quarta vez. Foi eleito em 1996 e reeleito em 2000. Nas eleições municipais de 2012, foi eleito pela terceira vez prefeito de Teresina. Ocupou a Secretaria Municipal de Finanças entre 1993 e 1995. Eleito presidente do diretório municipal do PSDB, renunciou ao cargo de secretário do município em 1996, para concorrer e ser eleito um dos mais jovens prefeitos de capitais do país. Firmino esteve entre os primeiros prefeitos de capitais eleitos pelo PSDB no Brasil.


Belém – Zenaldo Coutinho
Zenaldo Rodrigues Coutinho Junior é o atual prefeito de Belém, eleito para o cargo em 2012 e reeleito em 2016. Nascido na capital do Pará em 4 de fevereiro de 1961, o tucano é formado bacharel em Direito pela Universidade Federal do Pará. O tucano começou a vida pública aos 21 anos, quando foi eleito vereador, em 1982, sendo o mais jovem de todo país, à época. Foi duas vezes deputado estadual, chegando à presidência da Assembleia Legislativa do Pará em 1995. Em 1998, foi eleito deputado federal, função que exerceu por quatro mandatos seguidos.


Porto Velho – Hildon Chaves
Graduado em Direito, com especialização em Direito Público, Dr. Hildon é empresário e advogado. Filiado ao PSDB desde 2013, iniciou sua carreira na cidade de Vilhena (RO) como promotor de Justiça do estado de Rondônia. Posteriormente, atuou nas promotorias de Justiça de Pimenta Bueno, Ariquemes e Cacoal. Em 1998, foi promovido para Porto Velho. Na capital, atuou no primeiro e no segundo Tribunal do Júri, bem como na Vara de Execuções Penais e, por último, na Promotoria de Defesa da Saúde. Elegeu-se prefeito de Porto Velho em 2016, com mais de 65% dos votos.


São Paulo – João Doria
Com 53,29% dos votos válidos, o empresário paulistano João Doria alcançou o feito inédito de ser eleito prefeito da cidade de São Paulo em primeiro turno. Jornalista e publicitário, Doria é presidente licenciado do Grupo Doria, fundador e presidente licenciado Comitê Executivo do Grupo de Líderes Empresariais (Lide) e membro do Conselho Deliberativo do Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo. Foi secretário Municipal de Turismo e presidente da Empresa de Turismo da capital (Paulistur) entre 1983 e 1986, na gestão de Mário Covas na prefeitura, além de ter presidido a Empresa Brasileira de Turismo (Embratur) e o Conselho Nacional de Turismo de 1986 a 1988. Foi diretor de Comunicação da Rede Bandeirantes de Televisão (1979 a 1982) e professor de Marketing na Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), em São Paulo (1981 a 1983), além de fundador e vice-presidente do São Paulo Convention & Visitors Bureau. Em 2001, filiou-se ao PSDB e, em 2012, pelo quarto ano consecutivo, foi eleito uma das 100 pessoas mais influentes do Brasil e do mundo, pela revista Istoé. Em 2014, foi eleito um dos 100 líderes de melhor reputação do Brasil, em pesquisa feita pela empresa europeia Merco, publicada no Brasil pela revista Exame.


Porto Alegre – Nelson Marchezan Jr.
Eleito em Porto Alegre em 2016, com 60,5% dos votos, Nelson Marchezan Jr é advogado com pós-graduação em Gestão Empresarial. Exerceu a profissão por oito anos antes de ingressar na vida pública. Nascido em Porto Alegre, em 30 de novembro de 1971, foi eleito deputado federal em 2010 e reeleito em 2014, com cerca de 120 mil votos. Foi também diretor de Desenvolvimento, Agronegócios e Governos do Banrisul e deputado estadual entre 2002 e 2006 – para o cargo, recebeu em 2006 mais de 45 mil votos, sendo o mais votado do PSDB na ocasião.


Ribeirão Preto – Duarte Nogueira
Duarte Nogueira é engenheiro agrônomo e está em seu terceiro mandato de deputado federal, pelo PSDB, cargo para o qual foi reeleito em outubro de 2014. Foi eleito no segundo turno das Eleições Municipal 2016 à prefeitura de Ribeirão Preto (SP) com 56,94% da preferência dos eleitores, o que corresponde a 147.705 votos. Iniciou sua vida pública como deputado estadual em 1994. No ano seguinte, foi nomeado Secretário Estadual de Habitação do governador Mário Covas por dois anos (1995 e 1996). Foi deputado estadual por mais dois mandatos (1998 e 2002). Nesse período, teve função de destaque no Parlamento Paulista como vice-líder do governo Covas e líder do governo Geraldo Alckmin. Foi também Secretário de Estado da Agricultura do governador Geraldo Alckmin entre os anos de 2003 e 2006. O tucano foi líder do PSDB na Câmara dos Deputados em 2011 e apontado pelo Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar) como um dos dez parlamentares mais influentes do Congresso Nacional.


Caruaru – Raquel Lyra
Raquel Lyra é deputada estadual pelo Estado de Pernambuco. Ela é natural do Recife e formada em direito pela Universidade Federal de Pernambuco, com pós-graduação em Direito Econômico e de Empresas. Em 2002, assumiu o cargo de delegada da Polícia Federal, em que permaneceu até 2005. Nesse mesmo ano, foi aprovada para a Procuradoria Geral do Estado. Foi responsável, de 2007 a 2010, pela chefia da Procuradoria de Apoio Jurídico e Legislativo do governo de Eduardo Campos. Raquel também foi eleita duas vezes deputada estadual de Pernambuco. Em 2010, foi a mulher mais bem votada do estado e de Caruaru. Foi Secretária da Criança e da Juventude no segundo mandato de Eduardo Campos. Em 2014, teve a terceira maior votação do estado. Em 2016, filiou-se ao PSDB e lançou a sua candidatura à prefeitura de Caruaru. Chegou ao 2º turno e acabou se elegendo com 53,15% dos votos como a primeira mulher a ser eleita prefeita na história da cidade – e a única eleita prefeita no país no segundo turno.


Vila Velha – Max Filho
Natural de Vila Velha, Max Filho foi eleito prefeito do maior colégio eleitoral do Espírito Santo no segundo turno em 2016 com 58,91% dos votos válidos. Filho do ex-governador Max Mauro, iniciou a carreira política aos 20 anos como vereador de Vila Velha em 1988. Em 1994, foi eleito deputado estadual com 12.669 votos e reeleito com 38.610 votos em 1998. Elegeu-se para seu primeiro mandato à frente da prefeitura de Vila Velha em 2000, e em 2004 foi reeleito, governando a cidade até 2008. Em 2014, elegeu-se deputado federal como o terceiro candidato mais votado do Espírito Santo para a Câmara dos Deputados. O tucano é formado em Administração pela Universidade de Vila Velha (UVV) e em Direito pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e tem mestrado em Políticas Públicas e Desenvolvimento Local, cursado na Escola Superior de Ciências da Santa Casa da Misericórdia de Vitória (Emescam).


Blumenau – Napoleão Bernardes
Napoleão Bernardes é o atual prefeito de Blumenau e foi reeleito para o cargo em 2016, no segundo turno. O tucano teve 104.535 dos votos válidos, o que corresponde a 57,56%. Aos 16 anos, filiou-se ao PSDB e aos 17 anos, atuou como presidente da juventude do partido em Blumenau. Entre 2001 e 2003, foi secretário-geral da sigla e de 2007 a 2009, vice-presidente do PSDB na cidade. Foi eleito vereador em 2008 e prefeito em 2012, também no segundo turno – quando também derrotou Jean Kuhlmann (PSD) e se tornou o prefeito mais jovem da cidade. Aos 34 anos, ele é advogado, formado pela Universidade Regional de Blumenau (Furb) e natural da cidade. Também foi professor universitário e radialista.


Santa Maria – Jorge Pozzobom
Graduado em Direito pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Jorge Pozzobom começou sua carreira na política em 2000 como suplente de vereador em Santa Maria. Em 2004, elegeu-se vereador e, em 2006, concorreu à Câmara Federal, ficando na suplência. No governo de Yeda Crusius (2007-2010), foi secretário-geral adjunto do estado de Saúde e assessor especial da governadora. Em 2009, foi secretário municipal de Assistência Social em Santa Maria. Em 2010, concorreu à Assembleia Legislativa e foi eleito deputado estadual. Em 2014, foi reeleito deputado estadual com 48.244 votos, sendo o segundo mais votado do PSDB. Em 30 de outubro de 2016, foi eleito prefeito de Santa Maria.


Santo André – Paulo Serra
Eleito em 2016 para o cargo de prefeito de Santo André com 78,21% dos votos, Paulo Serra é formado em economia e direito, com especialização em gestão governamental. Iniciou sua carreira profissional como estagiário do Departamento de Planejamento Econômico e Financeiro da Prefeitura de Santo André, em 1993. Nascido na cidade em 6 de maio de 1973, foi eleito vereador pela primeira vez em 2004, sendo o mais jovem parlamentar da legislatura. Foi reeleito ao cargo em 2008, como o vereador mais votado do município. Assumiu o cargo de secretário de Obras e Serviços Públicos da Prefeitura de Santo André em 2013. Na função, executou diversos projetos e ações para a cidade, como a implantação do Bilhete Único Andreense, Ciclofaixa de Lazer, Pedalada Noturna e Ciclovias, entre outros.

São Bernardo do Campo - Orlando Morando Jr
Orlando Morando Jr está há mais 20 anos na vida pública e cumpria seu terceiro mandato como deputado estadual quando foi eleito prefeito de São Bernardo do Campo, sua terra natal. É empresário do ramo varejista e atual vice-presidente da APAS (Associação Paulista de Supermercados). Aos 18 anos de idade, sua liderança entre os amigos do bairro do Batistini, aliada aos problemas existentes no local, fizeram com que ele fosse eleito para representar a comunidade, em especial os comerciantes, na discussão e propostas de melhorias públicas na região. Venceu sua primeira eleição em 1996, quando recebeu 1.523 votos para tornar-se vereador de São Bernardo do Campo.

Campina Grande - Romero Rodrigues
Reeleito prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues é engenheiro agrônomo, formado pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Atuou na Secretaria de Agricultura do Município de Campina Grande antes de dar início à sua carreira política. Foi eleito vereador em 1992, sendo sucessivamente reeleito e chegando a ocupar a presidência da Câmara Municipal. Em 2006, foi eleito deputado estadual. Foi Secretário de Interiorização do Estado (2007-2008) e secretário-chefe da Casa Civil do Governo da Paraíba (2008-2009) na gestão do então governador Cássio Cunha Lima. Como deputado foi apontado pela ONG Transparência Brasil como o parlamentar com maior atuação na Assembleia Legislativa da Paraíba em termos de relevância nas matérias apresentadas. Em 2010 foi eleito deputado federal pela Paraíba com 95.202 votos. Seu trabalho na Câmara Federal em busca de benefícios para a população garantiu as condições para que, em 2012, disputasse com vitória sua primeira eleição majoritária.

Arapiraca - Rogério Teófilo
Formado em Administração e Direito, iniciou sua trajetória política em 1984, quando assumiu a Secretaria de Administração de Arapiraca na gestão de Severino Leão. No município, foi também diretor administrativo do Colégio Cenecista Nossa Senhora do Bom Conselho e professor da Fundação Universidade do Estado de Alagoas (Funesa), até 1991. Em 1990, foi eleito deputado estadual em Alagoas, sendo reeleito em 1994. Ocupou o cargo de secretário estadual de Educação e Desporto entre 1996 e 1998, nas gestões de Divaldo Suruagy e Manuel Gomes de Barros. Em outubro de 1998 conquistou seu terceiro mandato na Assembleia Legislativa. Em 2002, foi eleito deputado federal, trabalhando como membro titular das comissões de Educação, Cultura e Desporto; de Educação e Cultura; de Finanças e Tributação; e de Trabalho, Administração e Serviço Público. Participou ainda das comissões especiais sobre o Processo Eleitoral de 2006; sobre Desenvolvimento do Ensino Fundamental; do Fundeb; do Programa Universidade para Todos; do Plano Nacional de Juventude; da Reforma Universitária; e também da comissão externa sobre as enchentes no Nordeste. Em 2008 candidatou-se a vice-prefeito de Arapiraca na chapa vitoriosa encabeçada por Luciano Barbosa. Em 2009, foi empossado secretário da Educação e do Esporte de Alagoas, na gestão de Teotônio Vilela Filho.
 


Comentários