Eleições
Comissão prepara calendário de convenções do PSDB; ITV atua em grupo para renovação do programa partidário
09 de Agosto de 2017
Em reunião da Executiva Nacional do PSDB, comandada pelo presidente interino da legenda, senador Tasso Jereissati (CE), nesta quarta-feira (09/08), o partido definiu que elaborará um calendário para a realização de um congresso nacional e de convenções partidárias municipais, estaduais e nacional. O processo será coordenado por uma comissão chefiada pelo secretário-geral da legenda, o deputado federal Sílvio Torres (PSDB-SP).

Outro grupo será formado para coordenar as discussões temáticas que vão levar à reformulação do programa partidário e à atualização do estatuto. "Vamos colocar todas essas questões que são polêmicas hoje como fazendo parte ou não do programa do partido", adiantou Tasso.

"O objetivo é que iniciemos, imediatamente, através do Instituto Teotônio Vilela (ITV) e de outros organismos internos do PSDB, principalmente os nossos movimentos setoriais, uma ampla discussão de renovação do nosso programa. É uma necessidade urgente já que o programa do PSDB remonta os tempos da sua fundação e o Brasil mudou, o mundo mudou de lá para cá", completou o senador Aécio Neves, presidente licenciado.

Reforma Política
Na reunião, os tucanos também definiram pontos de consenso na defesa da reforma política, entre eles, a adoção da cláusula de barreira, o fim das coligações proporcionais e o voto distrital misto. Tasso Jereissati destacou a importância da implantação do Parlamentarismo no Brasil não como solução para a crise política, mas como uma alternativa para os próximos anos. "Nossas posições agora são a da cláusula de barreira, do fim da coligação proporcional já para 2018 e a questão do voto distrital misto, que vamos levar para chegarmos ao Parlamentarismo. O parlamentarismo não agora, não como solução de crise, mas o parlamentarismo para 2022", salientou.

O presidente interino do PSDB avaliou que o momento de crise enfrentado pelos brasileiros deve levar os partidos políticos a realizarem um "mea culpa". "É tapar o sol com a peneira dizer que não existe uma enorme insatisfação da população brasileira com a classe política. Nós precisamos entender o motivo dessa insatisfação, e onde nós erramos. Não vamos ficar cegos diante do que está acontecendo na rua", apontou.

Debate democrático
Tasso Jereissati ressaltou ainda o caráter democrático das discussões internas no PSDB. "O partido está unido. Faz parte da história do partido: o PSDB não tem dono. Aqui, as coisas são decididas democraticamente, e nas discussões aparecem sempre opiniões diferentes ou divergentes, mas no básico nós estamos juntos", considerou.

Dentro desses pontos de consenso está a importância da realização das reformas, seja a política, tributária ou da Previdência. "Em tudo aquilo que faz parte do nosso programa, independentemente de nós estarmos ou não no governo, o governo conta com a gente. Por exemplo, reforma da Previdência, reforma tributária. Tudo aquilo que vier a ser parte do nosso programa, e sempre dissemos isso", completou o presidente do PSDB.

"Minha fala foi chamando a unidade do partido em torno da reforma política, em torno da reforma previdenciária, em torno da simplificação do sistema tributário. Essa é a agenda possível e necessária ao país", completou Aécio.


(Fotos: George Gianini/PSDB)

Comentários