Economia
Padrão de vida de mais de 1 milhão de famílias brasileiras cai em 2015
30 de Maio de 2016

A crise econômica instalada no país ao longo do governo de Dilma Rousseff fez com que, somente em 2015, o padrão de vida de mais de 1 milhão de famílias brasileiras caísse. Segundo levantamento realizado pela Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa (ABEP), divulgado em matéria veiculada no Jornal Nacional, da TV Globo, na noite desta segunda-feira (16), exatamente 1.023.829 famílias viram a qualidade de suas vidas piorar no ano passado.


Deste total, 914 mil famílias deixaram as classes B1, B2 e C1 – a chamada classe média – para ingressar nas camadas mais pobres – C2, D e E -, em que a renda média mensal varia entre R$ 768 e R$ 1.625 reais


O dado negativo revelado pela pesquisa da ABEP representa, na avaliação do deputado federal Nelson Marchezan Junior (PSDB-RS), “mais um item da herança” que a gestão do PT deixou para o país.


“É mais um esqueleto no armário que vai surgindo, do que o PT deixou para os brasileiros. São 1 milhão de famílias que deixam a classe média, são centenas de milhares de brasileiros que deixaram a escola privada, são centenas de milhares de brasileiros que deixaram os planos de saúde, são milhões de pessoas que estão deixando de ter acesso aos serviços de melhor qualidade, à uma renda melhor. Junto com a perda de emprego, junto com a perda de poder aquisitivo, o brasileiro está passando a viver pior. Essa é a marca do governo do PT”, ponderou o tucano.


Para reverter a tendência de queda na qualidade de vida das pessoas, o governo de Michel Temer deve realizar, segundo Marchezan, um diagnóstico completo do tudo o que foi deixado ao país pela gestão de Dilma.


“O novo governo tem a obrigação de mostrar para todos os brasileiros qual foi a herança do PT em todos os setores, quais foram os males que foram feitos, e dar os remédios, por mais amargos ou difíceis que possam ser no momento, para que a gente possa superar essa situação”, analisou o parlamentar.


“Acho que as duas linhas em que o governo federal tem que trabalhar são a reorganização das contas públicas e a geração de empregos, no crescimento da economia para gerar empregos e dar dignidade a esses brasileiros que perderam qualidade de vida com o PT no governo”, completou o deputado gaúcho.

Comentários