Saúde
Entre o Purgatório e o Inferno - As 100 primeiras noites do segundo mandato de Dilma Rousseff
10 de Abril de 2015
Os primeiros 100 dias do segundo governo Dilma Rousseff foram marcados por intensas crises política, econômica e de desconfiança ampla da população. Num curto espaço de tempo, foram abandonadas as promessas de uma campanha eleitoral; jogadas fora bandeiras históricas de um partido político e desrespeitados os compromissos firmados pela candidata com a população.
O documento “Entre o Purgatório e o Inferno - As 100 primeiras noites do segundo mandato de Dilma Rousseff”, elaborado pelo Instituto Teotônio Vilela, traz um balanço do que configura o maior estelionato eleitoral já registrado na democracia brasileira.


Entre os pontos abordados, destacam-se a promessa de controle da inflação que se transformou no maior índice registrado nos últimos 20 anos; os tarifaços, principalmente, para combustíveis e energia elétrica; alta generalizada de impostos; corte de direitos trabalhistas; alta de juros e desemprego em trajetória ascendente. Além disso, a educação sofreu brutal corte de verbas dentro do arrocho imposto ao Orçamento da União.


Nesses 100 dias a economia brasileira simplesmente parou, os investimentos retraíram, a confiança de investidores e consumidores sumiu e os escândalos de corrupção, sobretudo na Petrobras e agora também na Eletrobrás, se multiplicaram. Só o que não mudou foram as revelações quase diárias da participação ativa do PT na roubalheira.


LEIA AQUI o documento completo.

Comentários