Agricultura
Para Roberto Rodrigues, falta de estratégia atrapalha crescimento do agronegócio brasileiro
05 de Julho de 2016

Falta uma estratégia para o agronegócio brasileiro alcançar resultados mais expressivos, na avaliação do ex-ministro da Agricultura Roberto Rodrigues. Formado em engenharia agrônoma e hoje coordenador da área de agronegócio da Fundação Getúlio Vargas (FGV), ele aponta como uma das causas que travam o desenvolvimento do setor a pouca compreensão da sociedade quanto ao tamanho e à relevância da agricultura para a economia do país. “Não há atividade econômica que esteja totalmente desvinculada da agricultura. Ela está presente na vida de todas as pessoas, o tempo inteiro”, afirma.


Dados da Organização para Cooperação e Desenvolvimento da Economia (OCDE) mostram que, para garantir a segurança alimentar mundial, é preciso aumentar em 20% a produção de alimentos até 2020. Para isso ocorrer, o Brasil teria de incrementar sua produção em 40%, dadas as condições favoráveis do país ainda passíveis de serem mais bem aproveitadas. “Temos condições para isso. O Brasil tem terras disponíveis, a melhor tecnologia tropical do mundo e técnicos capacitados. O que pode nos impedir são alguns gargalos que ainda temos que superar. Nossos portos não são adequados, grande parte do transporte das mercadorias ainda é rodoviário, não é ferroviário ou hidroviário. Investimento em logística é essencial”, analisa Rodrigues.


Para o ex-ministro da Agricultura, é preciso também ter uma política de renda mais adequada e investir em acordos com outros países.  “O setor precisa de crédito e seguro rurais mais dinâmicos. O agronegócio brasileiro ainda não tem nenhum acordo bilateral relevante. Isso pode ser feito em pouco tempo."


Confira a íntegra da entrevista!
 

Comentários