Aécio Neves: PSDB chega fortalecido ao Congresso Nacional
02 de Fevereiro de 2015

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, concedeu entrevista, neste domingo (1º/02), em Brasília. Ele respondeu a perguntas sobre a nova bancada do PSDB; CPI da Petrobras; retirada dos direitos trabalhistas. A seguir, a entrevista do senador.


A bancada do PSDB é reforçada com a chegada dos senadores José Serra (SP), Tasso Jereissati (CE) e Antonio Anastasia (MG).


O PSDB chega fortalecido ao Congresso Nacional com a mesma pregação: a independência do poder, a capacidade de estarmos sintonizados com as expectativas da sociedade brasileira. E o PSDB chega fortalecido também – não apenas pelos quadros extraordinários que traz ao Senado Federal – mas chega fortalecido pelo respaldo que tem hoje de uma parcela muito expressiva da população brasileira, que despertou nessas eleições, que acompanha como jamais acompanhou no nosso passado mais recente os trabalhos no Congresso, aquilo que acontece no Brasil, seja na economia, seja na educação, seja nos nossos indicadores sociais. Portanto, cabe ao PSDB continuar interpretando esse sentimento de mudança que hoje atinge uma parcela muito ampla da sociedade brasileira. E aqui fazemos aquilo que a Constituição determina que o Congresso faça: fiscalizando as ações do governo, cobrando resultados, cobrando coerência e possibilitando ao Brasil ter uma agenda muito mais ousada do que aquela que nós tivemos nos últimos anos.


O senhor foi crítico às medidas anunciadas pela presidente Dilma em relação às mudanças na concessão de benefícios previdenciários. Do ponto de vista do governo, o argumento é para economizar R$ 18 bilhões em fraudes. O PSDB já tem um posicionamento em relação a essas mudanças que vão vir para cá?


Olha, a fraude verdadeira foi o Brasil que a presidente da República apresentou na campanha eleitoral. Um Brasil que prosperava, que não tinha problema com inflação, que crescia, um país que se desenvolvia adequadamente, que não tinha rombo nas suas contas. Passada a eleição, nós estamos assistindo as consequências do desastroso governo da presidente Dilma Rousseff. Essas medidas que estão sendo tomadas – sejam no aumento dos tributos, por um lado, ou na supressão dos direitos trabalhistas por outro – são única e exclusivamente de responsabilidade dos equívocos que nós denunciamos durante a campanha eleitoral – seja em relação ao setor elétrico, teremos agora aumento de tarifas, seja em relação ao preço dos combustíveis, seja em relação aos direitos trabalhistas. Infelizmente, o governo da presidente Dilma fracassou nos últimos quatro anos e quem paga a conta são os brasileiros.


O PSDB retoma a CPI Mista da Petrobras?


Prioridade absoluta. Temos a obrigação de participar dessas apurações que levaram à mais desastrosa administração que uma empresa pública brasileira já teve em toda sua história.


(*) Do site do PSDB

Comentários