Aécio Neves é reeleito presidente do PSDB; tucanos fazem fortes críticas ao governo Dilma
06 de Julho de 2015
Brasília – O senador Aécio Neves foi reeleito presidente nacional do PSDB, em convenção realizada no domingo (05/07). Em seu discurso, Aécio responsabilizou o governo federal pela grave crise política e econômica vivida pelo País. Em um duro discurso, Aécio afirmou que os escândalos de corrupção colocam sob gravíssima suspeição a campanha que elegeu a atual presidente e seu vice.
“Convivemos hoje com o dramático aparelhamento da administração federal, tomada de assalto por ativistas e amigos do poder. Convivemos com a corrupção endêmica, com escândalos em série, intermináveis e vergonhosos, como os revelados quase diariamente pela Operação Lava-Jato. Convivemos com o uso de truques contábeis, as chamadas “pedaladas fiscais”, para fechar as contas do governo. Uma prática que pode levar a presidente da República a ter suas contas rejeitadas, algo inédito em quase 100 anos de história republicana”, criticou Aécio Neves.
Reeleito por mais dois anos na presidência do partido, com 99,34% dos votos dos convencionais, Aécio Neves ressaltou que o PSDB seguirá lutando no Congresso contra os desmandos do atual governo.
“Somos minoria no Congresso, mas somos majoritários na esperança e no coração dos brasileiros. A oposição não se omitiu. A oposição não hesitou nem esmoreceu. A oposição lutou e continua lutando. Hoje grande parte do Brasil espera a posição do PSDB. Ela será responsável e corajosa”, ressaltou.
A convenção foi marcada por fortes críticas ao governo Dilma Rousseff. O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso afirmou que o Brasil vive um cenário de “acumulação de crises” e que a saída para que o país volte a crescer está na união do povo ao redor das forças oposicionistas. “Recordo muitas situações difíceis pelas quais passou o Brasil. Momentos de muita tensão. Mas raramente vi um momento como o atual: uma acumulação de crises e paralisação do Executivo”, afirmou. O ex-presidente acrescentou que confia no papel da oposição e pediu ainda mais “respeito à Constituição”.
Fernando Henrique  criticou os 13 anos do PT no governo federal. “Nunca antes neste país se roubou tanto”, disse. O tucano destacou realizações que ele empreendeu na Presidência da República, como a reorganização do sistema financeiro, que deixou fundamentos posteriormente afetados pela atuação do PT. “Tudo o que nós fizemos foi às limpas. Atualmente, temos um Brasil que foi quebrado pelo PT. A crise que existe hoje em dia é uma crise deles, não nossa”, destacou. E reiterou: “Posso ter, em algumas ocasiões, perdido popularidade; mas jamais perdi credibilidade.”
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, a ressaltou a alegria pelo fato de o PSDB estar defendendo a liberdade, a democracia e a vida pública no Brasil.” “Somos o partido dos mais humildes, da educação, da saúde, da segurança que salva vidas e que nunca usou, nem nunca usará o nome do trabalhador em vão”, afirmou.
Ele lamentou o cenário atual: “Hoje, infelizmente essa situação, os 13 anos do PT. Juros nas alturas, programas sociais recuando, pedaladas fiscais. É o resultado do maior estelionato do qual foi vítima o povo brasileiro.” Alckmin indagou: “Qual deve ser nosso papel, como ajudar o Brasil nessa conjuntura difícil?”.Segundo ele, é preciso voltar nossa preocupação aos que mais precisam. “Aos brasileiros pobres não pode caber a conta dessa tragédia política. Vamos defender o emprego e a sobrevivência da família brasileira”, destacou.
O senador José Serra (PSDB-SP) também destacou a grave crise que o país atravessa. “Cabe a nós, forças políticas responsáveis , oferecer alternativas para sair dessa crise. O estrago feito no governo federal na era petista é gigantesco”, disse.
Serra enumerou questões como o desemprego, que, segundo ele, deve chegar a 9% no final de 2015, e a queda dos investimentos. Falou ainda da deterioração dos serviços públicos, em especial na saúde. Resultado, segundo ele, da falta de definição de prioridades no setor e de desmandos. “Só vai haver crescimento se enfrentarmos o desafio da reindustrialização do nosso país”, afirmou o tucano. Neste sentido, Serra considerou como fundamental o foco em três setores: exportação, infraestrutura e indústria do petróleo.
 
Confira o discurso do Senador Aécio Neves
https://www.youtube.com/watch?v=eGbrdjvqjr8

Comentários