"O país do retrocesso", por Marcello Richa
10 de Fevereiro de 2016

O Fundo Monetário Internacional (FMI) elevou de 1% para 3,5% a previsão de queda do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2016 e indicou que em 2017 o país ficará estagnado. É mais uma notícia ruim que mostra como o governo Dilma conseguiu transformar o Brasil no país do retrocesso.


Para ter uma ideia do tamanho da crise que nos encontramos, de acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Brasil responderá por 30% dos novos desempregados em todo o mundo. Em 2015, de acordo com o Caged, foram 1,542 milhão de empregos eliminados – uma queda de 18% nas contratações. São números que só pioram.


Vivemos o reflexo de uma política econômica irresponsável e incompetente que vem desde o governo Lula e se fortaleceu com Dilma Rousseff. O ativismo fiscal, sempre com interesses eleitoreiros petistas, desequilibrou o orçamento do país e arrasou nossa economia. O atual estado das contas públicas federais é trágico e registra déficits recorrentes no seu resultado primário, com gastos muito superiores ao que o país conseguia sustentar e que culminaram nas pedaladas fiscais, principal e válido argumento para o pedido de impeachment.


A única “solução” apresentada pelo governo federal é insistir em ressuscitar a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), mesmo imposto que o PT, quando não estava no poder, dizia ser uma extorsão. Dilma prefere criar mais um imposto, asfixiando ainda mais a população, e diminuir os repasses para os municípios do que cortar gastos no governo federal e melhorar a distribuição de recursos. Para o PT, a “solução” da crise não pode afetar o poder de barganha do balcão de negócios que eles transformaram o poder público, ondem distribuem benefícios para quem os apoia para se manterem no poder.


E quando pensamos que não pode piorar, percebemos que a falta de responsabilidade e bom senso no governo petista ultrapassa qualquer limite. A Receita Federal divulgou que a arrecadação federal teve queda real de 5,6% em 2015 em relação ao ano anterior – resultado da crise financeira que a própria gestão Dilma nos levou. Pois bem, com o FMI apontando que 2016 será um ano de recessão, com o desemprego aumentando, com 2015 apresentando uma queda real de R$ 75 bilhões, o governo federal resolve aprovar um orçamento que estima crescimento de 7% – R$ 80 bilhões de crescimento real. Apenas no mundo imaginário do PT é possível ter um crescimento real com queda no PIB.


Infelizmente temos um governo federal que constantemente escolhe ignorar a realidade, achando que se contar uma mentira muitas vezes ela irá se tornar verdade. O governo Dilma trouxe, em níveis alarmantes, a inflação de volta, um desemprego recorde, institucionalizou a corrupção como modelo de gestão público e levou o país para uma crise econômica sem precedentes e que não está próxima de terminar. Já passou da hora de darmos um basta nesse modelo de gestão petista, que se exauriu e só está prejudicando o país.


(*) presidente do Instituto Teotônio Vilela do Paraná (ITV-PR)

Comentários