Mercosul passado a limpo
Rubens Barbosa
Rubens Barbosa
27 de Setembro de 2016

Os países-membros do Mercosul perderam tempo demais discutindo a questão da presidência do grupo e o que fazer com a Venezuela. A repressão do governo venezuelano aos manifestantes que marcharam para Caracas pedindo a substituição do presidente venezuelano e o adiamento do referendo revocatório mostram o acerto da posição brasileira de suspender esse país do grupo pelo não cumprimento dos compromissos assumidos há dez anos, inclusive o Protocolo de Direitos Humanos.


Os esforços do governo brasileiro devem concentrar-se naquilo que interessa ao Brasil e aos demais membros fundadores: como fazer o Mercosul voltar ao que era inicialmente.


Instrumento de liberalização de comércio e de abertura de mercado, como está previsto no artigo 1 do Tratado de Assunção, o Mercosul desempenhou papel importante no contexto das negociações comerciais e no comércio exterior brasileiro até 2003. Seguindo uma agenda partidária nos últimos 13 anos, contudo, o grupo foi desfigurado, está paralisado e vem gradualmente perdendo o interesse do setor privado. Hoje o Mercosul, que representou mais de 16% do comércio externo brasileiro, absorve menos de 9%.

Leia a ÍNTEGRA DO ARTIGO, publicado no jornal "O Estado de S. Paulo", em 27/09/2016 

Comentários