Hora da Reforma Política
Pedro Tobias
Pedro Tobias
02 de Dezembro de 2016

Mais que vitoriosos e derrotados, as eleições municipais de 2016 ficarão marcadas pelo recado de insatisfação generalizada ao sistema político. O número de votos nulos, brancos e abstenções no segundo turno atingiu um em cada três eleitores aptos a votar. Neste cenário, mais que análises de conjecturas para o próximo pleito, partidos, políticos e cidadãos deveriam se debruçar em construir uma proposta de reforma política capaz de aproximar eleitores e eleitos e de fazer justiça ao sistema eleitoral, tornando-o, verdadeiramente, uma ferramenta da democracia.


O Senado já aprovou a proposta conjunta dos senadores Aécio Neves e Ricardo Ferraço, a PEC da Reforma Política, que institui cláusulas de desempenho e o fim das coligações proporcionais, temas indispensáveis para acabar com as legendas de aluguel e com a política de negócios em que se transformaram alguns partidos.


Leia a ÍNTEGRA DO ARTIGO, publicado no jornal "O Globo", em 30/11/2016

Comentários