“Pela democracia e contra a corrupção – mudança já!”, por Marcus Pestana
25 de Março de 2015
A turbulenta conjuntura que o Brasil vive tem alguns traços centrais:
A gravíssima crise econômica em que se encontra mergulhado o País, fruto dos equívocos da política implementada pelo Governo Dilma;
A percepção crescente de um verdadeiro “estelionato eleitoral”, com o discurso de campanha sendo contraditado por medidas concretas que afetam o trabalhador e a população em geral, demonstrando claramente que as promessas eleitorais foram mera estratégia demagógica e mentirosa para garantir a perpetuação no poder;
A eclosão do maior escândalo da história brasileira e um dos maiores que se tem notícia no mundo, envolvendo nossa mais importante empresa estatal, a Petrobras, com fatos estarrecedores revelados pela operação Lava-Jato;
A insatisfação e a revolta que tomam conta da maioria da população brasileira, indignada com a corrupção institucionalizada e com o comprometimento do horizonte futuro do país, a partir da incapacidade do governo de erguer respostas eficientes, e do déficit de liderança instalado, com a clara ruptura da base de apoio ao Governo Dilma, na sociedade e no Congresso.
O PSDB nasceu, em 1988, em nome da defesa da liberdade, da democracia, da justiça social, da modernização da economia e da promoção da cidadania. Coerentes com esses princípios, renovamos nosso compromisso com a democracia e, portanto, com a Constituição e as instituições democráticas e republicanas. E essas serão as balizas de nossa atuação política na presente crise. Não advogamos nenhuma ruptura da ordem constitucional e combateremos qualquer ameaça de retrocesso institucional. Mas, o PSDB não pode se calar diante da institucionalização da corrupção em escala endêmica e com os descaminhos da política econômica do Governo Dilma.
Não há dúvidas que, se vivêssemos no regime parlamentarista, o Governo Dilma, por sua incapacidade de gerar confiança e respostas diante de tamanha crise e pela erosão de sua base de apoio, já teria caído.
A operação Lava-Jato e a ação de nosso sistema judiciário, com a estreita colaboração da CPI na Câmara dos Deputados, é que darão o ritmo e o rumo nos desdobramentos da presente crise. Impeachment é uma figura prevista em nosso texto constitucional e em nossas Leis. Já foi acionada na história recente do País. Impeachment não é objetivo ou ponto de partida. É, na verdade, consequência e ferramenta institucional para a solução de impasses políticos. Nada nos move além da defesa dos valores fundamentais da ética e da honestidade. Não há golpismo quando se defende a democracia e um Brasil decente.
O PSDB irá às últimas consequências na investigação dos fatos revelados pela operação Lava-Jato. Confiamos no Poder Judiciário, no Ministério Público, na Polícia Federal e no Congresso Nacional. E estamos convencidos, e é isso que a sociedade espera de todos nós, que corruptos e corruptores serão exemplarmente punidos.
(*) deputado federal, presidente do PSDB-MG

Comentários