02 de OUT. de 2014
Diabruras a tira colo (Carta 1003)
02 de Outubro de 2014
Carta de Formulação e Mobilização Política, 02 de outubro de 2014, No. 1003

Não é novidade que a administração petista sempre teve grande dificuldade em distinguir o público e o privado. Também não é segredo que o PT está disposto a transgredir quaisquer limites para se manter no poder. Os episódios se sucedem, numa profusão que parece não ter fim.

O mais novo escândalo – não sabemos se o último ou não – envolve os Correios. A estrutura de mais uma de nossas estatais está sendo usada para fazer campanha de petistas pelo país afora. Na mala a tira colo de carteiros, junto de correspondências vão panfletos de Dilma e seus apoiadores.

O mais novo lance no rol de maldades da campanha da candidata que se disse disposta a “fazer o diabo” para vencer a eleição atinge a credibilidade e lança suspeitas sobre mais uma de nossas estatais. A enorme capilaridade dos Correios está sendo usada sem o menor constrangimento para favorecer o PT.

Além de distribuir material de propaganda petista, a estrutura da empresa também é acusada de desviar e não entregar correspondências legalmente postadas pelas campanhas adversárias. Só em Minas teriam sido mais de 5 milhões de peças tucanas que não chegaram a seus destinatários.

Este e outros “feitos” são celebrados pelos partidários de Dilma em público, gravados em vídeo, sem o menor pudor: “Tem dedo forte dos petistas dos Correios [na campanha petista]”, comemora o deputado Durval Ângelo (PT-MG) em agradecimento comovido a Wagner Pinheiro, o presidente da estatal, num evento em Minas.

O partido tem larga experiência na utilização das estruturas do Estado para fins eleitoreiros e negócios partidários. É só olhar à volta e ver o que acontece na Petrobras, na Eletrobrás, em prefeituras como a de Guarulhos, dominada pelo PT há 14 anos. Além disso, volta e meia a estrutura da Presidência da República é transformada em extensão do diretório do partido. O rol de diabruras não tem fim...

Com frequência, este governo é pego com a mão onde não devia. As cifras mais antigas vão ficando pequenas perto das falcatruas mais novas. Está aí uma característica que entrará para a história petista, lado a lado com refinarias superfaturadas, estatais desmanteladas, órgãos sucateados.

Toda vez que estruturas públicas são utilizadas para fins privados, são usurpadas para favorecer partidos, são assaltadas para financiar máquinas eleitoreiras é o dinheiro dos brasileiros que está escorrendo pelo ralo. Cada centavo da corrupção e do aparelhamento é um centavo a menos na educação de uma criança brasileira.

 

Comentários